Cacá sobre Jacarepaguá: "É como se fechassem a minha casa"

Em um tom bastante duro, o carioca tetracampeão fala com exclusividade ao TotalRace sobre a última corrida da Stock no Rio

"Triste, puto e ofendido" são os sentimentos descritos por Cacá Bueno para com  o que estão fazendo com o Autódromo de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Em vias de ser fechado, a pista da cidade dará lugar a um complexo olímpico para os jogos de 2016 e, seguindo na mesma , o tetracampeão da Stock Car fala ao TotalRace e bate duro nos governos e responsáveis por deixarem tal fato acontecer.

"Eu me sinto triste, puto e ofendido. Beira o ridículo um estado como o Rio de Janeiro não ter um autódromo. Todas as cidades turísticas do mundo têm circuitos que sediam grandes corridas, e é ridículo o Rio não ter isso. Para um lugar que já teve Fórmula 1, Fórmula Indy, MotoGP, ter um autódromo é a chance de realizar 20 bons eventos por ano, e o Rio de Janeiro, uma cidade, que terá Copa, Olimpíada, não ter autódromo, é uma imbecilidade. O descaso e o prejuízo que a cidade vai ter é enorme ", revela.

Cacá pensa no futuro do automobilismo local, que tem na categoria quatro pilotos e cinco equipes, mas praticamente ninguém se despontando para o cenário futuro do automobilismo nacional.

"Temos quatro pilotos cariocas no cenário nacional do automobilismo, que são, além de mim, o Duda [Pamplona], o meu irmão [Popó Bueno] e o Pedro [Boesel]. E o mais novo piloto dessa turma já beira os 30, e atrás deles não vem ninguém. Não temos mais kartódromo, não temos mais autódromo... para a cidade é ruim. Vamos destruir um para construir outro, e nós sabemos como isso funciona", disse.

"Morei e conheço muito bem aquela área do entorno do autódromo, e sei que existem milhares e milhares de metros quadrados para fazerem obras, assim como existiam antes de 2006 para o Pan... Vão destruir um autódromo dos melhores para construir, digo, se construírem, outro em um local diferente. É um absurdo de gasto de dinheiro público, de perda de receita, perda de visibilidade, de turismo para  o Rio. Fico indignado com a situação do nosso autódromo. Os imbecis que fizeram toda essa trajetória de destruir um esporte tão importante para o Rio de Janeiro não tem o meu voto, e tenho certeza que um monte de gente pensa assim. Não muda nada para eles, só vão ficar um pouco mais ricos com tanta obra. Fechar o autódromo do Rio de Janeiro, e eu não poder correr lá, é como se fechassem a minha casa", completou Cacá Bueno, que venceu pela primeira vez na Stock Car em Jacarepaguá na longínqua 1997.

O TotalRace também foi buscar dos outros três cariocas da categoria como se sentem sem ter um autódromo para correr. Popó Bueno, Duda Pamplona e Pedro Boesel se disseram bastante chateados com a situação.

Popó cita que não se deve privilegiar um esporte em detrimento de outro, como irá acontecer com o automobilismo carioca.

"É como se mexessem no quintal de sua casa. Um descaso com o automobilismo, uma politicagem, é uma coisa que transcende o automobilismo, como o mercado imobiliário. Eu sou favorável às Olimpíadas, favorável ao avanço, mas não se pode privilegiar um esporte em detrimento de outro. Me sinto um pouco com cara de palhaço. Fizeram obras como o Maria Lenk e a Arena do Pan e vão ter que jogar tudo abaixo. Nos fazem de fantoche", falou.

Duda Pamplona já puxa pelo viés do possível novo autódromo, que pode ser que nem saia do papel o projeto, tamanha a burocracia e os entraves que poderão acontecer.

"Primeiro foi o kartódromo, agora estamos na véspera de destruir o autódromo. E o pior é que nós não temos perspectiva de um novo autódromo, mesmo havendo um projeto e tal, mas fico com o pé atrás. Sem lugar para correr, começam a diminuir o interesse dos pilotos. Começar com um cara do zero fica muito difícil sem ter uma pista", lamenta.

Já Pedro Boesel ainda mantêm sua esperança acesa para que essa prova do Rio não seja a última, e que ainda consiga andar no circuito de Jacarepaguá mais vezes ainda.

"Estou torcendo para que não seja a última. Vivemos por dois anos esse temor de que poderia ser, mas estamos aqui correndo de novo. Se acabar, torço para que saia mesmo o novo autódromo de Deodoro, sabendo ainda sim que não terá o mesmo charme de Jacarepaguá", finalizou.

Após a prova da Stock Car, está programado para acontecer em Jacarepaguá uma etapa do Brasileiro de Gran Turismo, da Copa Petrobras de Marcas e uma da Porsche Cup como eventos principais. Após isso, o processo de demolição tende a ser iniciado.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Tipo de artigo Últimas notícias