Camilo acredita que poderia ser o pole se tivesse pneus mais usados

Com problemas na sessão de treinos que antecedeu a classificação e sendo obrigado a usar pneus novos, Thiago Camilo acredita que a falta de rodagem da borracha interferiu em seu rendimento

Thiago Camilo será o caçador mais próximo de Marcos Gomes amanhã na segunda prova de Curitiba da temporada. O piloto da equipe Ipiranga-RCM foi 0.157s mais lento que o carro #80. Uma mistura de frustração e otimismo tomou conta de Camilo, justamente por acreditar no potencial de seu carro, mas lamentando o fato de ter que usar pneus praticamente novos na tomada de tempo para a formação do grid: "O carro estava bom desde os treinos de ontem. Mesmo fazendo uma sessão com pneus não muito usados, eu fiz uma volta muito boa, então posso falar que o carro tinha um bom rendimento." 

"Para chegar na pole ficou faltando um uso maior do pneu novo no último treino antes da classificação. Mas foi, sem dúvida, um grande trabalho de toda equipe e foi além das expectativas."

A temperatura é um dos grandes fatores para a etapa, se diferenciando bastante em comparação com a primeira prova que aconteceu em maio. "Viemos numa época para Curitiba quando a temperatura estava mais fresca e agora acabou esquentando um pouco mais. O carro é muito sensível, os pneus, o acerto, a configuração de alinhamento do carro, cambagem, tudo muda, então a gente consegue aproveitar o setup básico, mas durante os treinos, acaba se transformando num carro totalmente diferente."

"Não são grandes modificações, mas acabam interferindo no resultado final. Como a Stock Car tem um regulamento muito engessado, muito restrito, um conjunto de pequenas coisas faz a diferença no resultado final."

A rodada dupla de Curitiba acontece neste domingo a partir das 13h10, horário de Brasília.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Evento Curitiba 2
Pista Autodromo Internacional de Curitiba
Pilotos Thiago Camilo
Tipo de artigo Últimas notícias