Conheça os novos pilotos da turma da Stock Car Brasil

As três novas caras do grid da categoria falaram ao TotalRace sobre suas estreias em Interlagos

Vitor Meira: da Indy para a Stock

Os estreantes da Stock Car em 2012 são três. Um deles vem de longa carreira no exterior, do alto de 10 anos de experiência na Indy. Os outros dois vêm da Copa Montana, principal acesso para a maior categoria de turismo do Brasil.

Vitor Meira, aos 35 anos, construiu sua carreira fora do Brasil. Depois de passar os últimos três anos em performances erráticas com o carro da A.J. Foyt e ter somado apenas um pódio, Meira voltou à terra natal. Depois de ter corrido por três times e ter feito duas poles na Indy, o brasiliense chegou à primeira corrida da temporada da Stock Car ainda com alguns problemas de adaptação. “O maior problema é saber o que o carro quer para ser rápido”, disse.

A corrida de Vitor, 23º no grid, foi atrapalhada logo na largada. O piloto se tocou com diversos carros e teve um pneu furado. “Não foi o resultado final que esperávamos, mas aprendi. Pelo menos não foi um negócio terminal”, falou; e emendou “O problema foi onde a gente largou, lá atrás sempre dá problema. Vou me concentrar muito pra não largar mais desse jeito”. O piloto da Officer ProGP finalizou a prova em 27º.

Já Pedro Boesel (sobrinho de Raul), 28, e Galid Osman, 26, são oriundos da Copa Montana. O primeiro teve uma classificação ruim graças ao tráfego e aquecimento precário dos pneus, mas foi o segundo piloto que mais ganhou posições na corrida, 12, para finalizar em 19º. “Foi um resultado positivo o do fim de semana. Estrear com pontos numa categoria tão difícil quanto é a Stock Car, tem que ser valorizado”. O carioca ainda se orgulha por ter conseguido sua posição final com apenas dois abandonos na prova: “O resultado foi construído na pista, não foi herdado. Fizemos boas ultrapassagens e bom uso do push-to-pass”.

Já o segundo, foi o melhor estreante. Se classificou muito bem, em 13º, mas largou mal e chegou apenas em 17º. “ Na largada eu fiquei encaixotado atrás do Tuka (Rocha) na parte de dentro da pista, e a fila de dentro parou, todos começaram nos passar por fora […] foi questão de falta de sorte mesmo”, falou Galid Osman ao TotalRace. O paulista ainda ressaltou o fato de ter Rubens Barrichello como consultor de sua equipe, a BMC Racing. “Só o fato de ele estar aqui com a gente, passando uma energia, a vivência dele fora da pista, está sendo muito importante”, disse, mas ao mesmo tempo, admitindo que não conseguiu colher ainda nenhum fruto da parceria. “Na parte técnica, não deu pra colher ainda nada. Infelizmente coincidiu essa corrida com a dele.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Tipo de artigo Últimas notícias