Em 2º, Barrichello descarta estratégias contra Fraga

Superado por Felipe Fraga por 0s011 neste sábado, piloto da Full Time exalta time após troca de motor na manhã de sábado

Parecia que Rubens Barrichello seria o pole pela segunda vez no ano em Interlagos. O piloto de São Paulo tinha nas mãos a primeira posição no treino oficial até a última passagem de Felipe Fraga, que obteve sua quarta pole de 2016 por apenas 0s011.

Barrichello admitiu a chateação após a classificação, mas se disse feliz após problemas enfrentados com a falta de performance de seu carro no treino da manhã.

 

“Foi muito bom o treino”, falou ao Motorsport.com.

“Tirei o que eu tinha para tirar do carro. A gente teve que trocar o motor - a performance do motor hoje de manhã não estava legal. A equipe está novamente de parabéns por ter conseguido entregar um carro muito competitivo para classificar. É que o Fraga vem em um campeonato muito bom.”

“Ele vem em um momento forte e está guiando muito bem. Não é uma surpresa. Nós que temos de tentar passar por cima disso tudo. Estou feliz com este meu fim de campeonato. Estamos apenas 0s011 atrás, são 11 posições (na verdade 12, já que Fraga precisa ser 13º para que Barrichello seja campeão vencendo) que eu preciso chegar na frente dele, então que seja um 11 vencedor.”

Meta é vencer

Rubens diz que tentará acima de tudo a vitória neste domingo, buscando ser agressivo desde a largada da prova deste domingo.

“Não podemos contar só com equipamento, temos de contar com o jogo das coisas amanhã”, disse.

“O que eu quero amanhã é ganhar a prova, depois é esperar pelo destino. O que papai do céu vai escolher para nós.”

“Tenho que me sentir lisonjeado de estar com 44 anos e estar disputando com um cara de 21 – e posso me sentir até melhor pelo fato de ele querer também chegar aos 44 com esta velocidade. Isso é muito feliz, a garra ainda está dentro de mim.”

“Falei para ele, fiquei muito bravo quando ele passou. Fiquei esperando o que o Mau Mau (Maurício Ferreira, chefe da Full Time) ia falar. Eu achava que tinha a pole, porque a volta tinha sido muito campeã. Quando ele falou dos 0s011, dá uma baqueada. Mas estamos na boca, estamos bem.”

‘Estratégia Hamilton’ não daria certo

Graças ao push to pass, Barrichello descartou a estratégia de tentar pular na frente e segurar Felipe Fraga assim como Lewis Hamilton fez com Nico Rosberg em Abu Dhabi. Para ele, o mínimo erro pode ser fatal para suas aspirações no campeonato.

“Não dá para fazer isso, porque no final das contas o Hamilton sabia fazer as contas certinho, passando 0s6 no segundo setor e aumentando para 1s3 na reta e o Rosberg não tinha asa móvel”, falou.

“Aqui não tem isso, tem o push. Posso dar uma jogada errada com isso que outros três me passam. Meu intuito é buscar a liderança e não ficar buscando muito essa situação. A Stock Car é muito próxima, então não podemos pensar assim. Deve ser como na última prova, pela liderança. Ele me buscou, depois eu busquei de novo. Da minha parte o que posso fazer é tentar ganhar a prova.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Evento Interlagos II
Pista Interlagos
Pilotos Rubens Barrichello
Tipo de artigo Últimas notícias