Em 22º, Barrichello coleciona problemas mas se diverte na estréia

"Já estou sentindo falta; queria dar uma andadinha amanhã", disse o piloto que teve um pneu furado e o rádio quebrado

Barrichello em Curitiba

Rubens Barrichello teve uma estréia complicada. Logo na largada ficou no meio de confusão e conseguiu escapar do carro de Ricardo Zonta que rodou logo à sua frente, mas recebeu uma pancada na lateral do carro, que ficou desequilibrado. Pouco depois perdeu o rádio quebrou e ele perdeu o contato com a equipe. Por fim, teve um pneu furado quando tentava se recuperar na prova. Mesmo assim, Rubinho saiu feliz com a experiência e disse que já estar com saudade.

“Fiquei feliz, foi muito bom para aprender e já estou sentindo falta. Queria até dar mais uma andadinha amanhã”, brincou após a prova, mostrando bom humor. “Foi tudo muito válido. Para uma primeira corrida na categoria, foi uma boa estréia. Adorei o que vi, as crianças vieram e gostei muito de guiar o carro. Como piloto que quer ganhar, é lógico é frustrante ter o pneu furado, mas procuro sempre ver o lado positivo, então foi uma experiência válida e o aprendizado aqui vai me dar condições para ir melhor em Brasília e em Interlagos”, disse o piloto, lembrando das duas provas que ainda fará pela Stock Car em 2012.

Mais que o pneu furado, Rubinho falou que a grande dificuldade foi correr a prova inteira sem rádio, já que não pode receber orientações da equipe logo em sua primeira participação na modalidade. “Foi como correr vedado. Quando furou o pneu, por exemplo, eu queria ter trocado os 4 nos boxes, para sentir o acerto, mas a equipe não sabia e trocou só um. E o carro ficou muito dianteiro. Estava com medo de atrapalhar o pessoal que está disputando o título e pensei até em parar, mas era muito importante para mim continuar, correr os 40 minutos e achamos um espacinho ali. Até conseguir fazer ultrapassagens, mesmo com o carro perdendo potencia”, relatou o piloto, que também fez ultrapassagens no início da prova quando saiu do 21º lugar para o 17º.

O ex-piloto da Fórmula 1 comentou sobre a confusão na largada. “Eu estava esperançoso em fazer uma boa corrida, porque carro rendia bem com pneu velho. Fiz boa largada, não sei quantos eu passei. Eu me posicionei bem por fora, mas aí parecia estacionamento de shopping, batendo atrás e na frente pra sair da vaga”, comparou. “Eu estava encostando no Pizzonia, mas tomei uma pancada forte atrás e aí o Zonta rodou e fechou tudo. Foi batida para tudo quanto é canto e o volante até saiu da mão. Quando entrei na reta, entrei bem pra trás e com o volante torto”, explicou.

Rubens gostou tanto da experiência que confirmou a vontade de correr definitivamente na categoria um dia. Mas não para 2013, pois a intenção é permanecer na Indy. “Meu intuito é correr de F-Indy ano que vem, mas um dia quero estar aqui. Não é a minha programação para 2013, pois quero voltar para Indy. Tive uma experiência ótima lá, mas também muitos problemas em conhecer as pistas. Quero voltar para fazer melhor. Mas um dia pretendo vir para Stock. Estar aqui foi uma grande oportunidade, até para ajudar quem precisa e foi um grande barato a corrida. É uma tocada muito diferente, mas é agradável”, comentou Barrichello, feliz por voltar a correr no Brasil.

“Correr no Brasil é sempre uma alegria para mim. Como foi em Interlagos com a F-1 e no Anhembi com a Indy. Na minha carreira eu sempre me concentrei em não passar a emoção para o carro, pois isso foi algo que me atrapalhou um pouco. Mas é de família. No natal lá em casa é uma choradeira, mas não me envergonho, não. É uma coisa boa. E quando vi todo mundo querendo entrar no meu carro aqui, fãs, jornalistas, foi uma coisa especial. Eu me senti agraciado por tudo aquilo que fiz na carreira”, afirmou.

Barrichello volta a correr na Stock Car dia 11 de novembro em Brasília e depois fecha sua participação na Corrida do Milhão em Interlagos, dia 9 de dezembro.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Tipo de artigo Últimas notícias