Fraga vê pole como “meio caminho” e busca pressionar Serra

compartilhar
comentários
Fraga vê pole como “meio caminho” e busca pressionar Serra
Por: Gabriel Lima
7 de dez de 2018 20:24

25 pontos atrás, tocantinense se diz confiante na final da Stock: “não estou com nada de pressão e muito pode acontecer”

Campeão da Stock Car em 2016, Felipe Fraga chega à final da Stock Car em Interlagos neste final de semana em posição de poder pressionar o líder Daniel Serra. Mesmo 25 pontos atrás do piloto da Eurofarma RC, o tocantinense de 23 anos de idade se vê com boas chances de sair da corrida de pontos dobrados com o bicampeonato da categoria.

A matemática para Fraga é simples. Ele precisa chegar no top-4 e torcer para Serra não estar entre os sete primeiros. Vencendo, Serra pode ser o quarto para ser campeão. Com Fraga em segundo, ele pode ser quinto. Com Fraga em sexto, o terceiro, e com Fraga em quarto, o sétimo.

Mesmo com o paulista tendo um carro bem acertado, Fraga aposta no imponderável para se dar bem.

“É uma diferença grande, mas não é fácil ser quarto na Stock Car”, disse ao Motorsport.com em Interlagos.

“Acho que todos vão trabalhar dobrado aqui para tentar fazer esses pontos na final que vale o dobro de pontos. Você pode dar uma boa subida na tabela. De repente se um cara que está em sétimo ou oitavo ganhar, pode até subir para quarto ou terceiro no campeonato. E isso todo mundo quer, por isso acho que muita gente vai ser muito agressiva, o que pode atrapalhar talvez um pouco a disputa do título.”

“Mas isso na minha opinião isso ainda me beneficia, porque quem precisa correr com calma é o Daniel e não eu. A gente começou bem. Fomos 16º e 17º nos treinos sem usar pneus novos, com o Daniel um pouquinho na nossa frente.”

“A pena é que estamos andando com muito pouca potência, só com 60% de abertura da borboleta do motor, o que facilita muito para todo mundo. Sou contra ficar mudando isso o ano todo, prejudica o campeonato. Não sei o motivo da escolha, mas o carro está bem lento e vai facilitar para muita gente.”

Perguntado se acredita que as ultrapassagens serão complicadas neste final de semana, Fraga concordou e disse que a performance na prova vai ser ditada pela classificação.

“A classificação vai ser 75% do final de semana, do resultado final da corrida”, seguiu.

“Uma pole position já seria meio caminho andado. E imagina, largar de primeiro com ele largando da segunda fila para trás? Ele correria bem mais pressionado. Então vamos focar na classificação e tentar largar na pole position.”

“O Daniel está bem. Dá para ver que sem colocarmos pneus novos viramos muito próximos, então vai ser bem complicado ganhar esse campeonato dele. Mas é aquela coisa, tudo pode acontecer. Você nunca sabe, pode chover na hora da largada, vamos ter também os pit stops... enfim. Muito pode acontecer, então vamos confiar e ir até o final.”

Chegando como caçador em vez de caça a final, ao contrário do que foi em 2016, Fraga diz que preferia estar apreensivo do que precisando torcer contra o concorrente.

“É bem melhor ficar nervoso para ser campeão do que ficar trabalhando para ganhar uma prova difícil e torcendo contra o outro”, falou.

“Não estou com nada de pressão, vou fazer o meu melhor. Vou trabalhar até o último momento e meu carro está muito bom. Muitas coisas podem acontecer como ocorreram comigo durante todo o ano. Vai que é nossa hora agora? Vamos ver.”

Next article
Casagrande fala em “roubar a cena” na decisão da Stock Car em Interlagos

Previous article

Casagrande fala em “roubar a cena” na decisão da Stock Car em Interlagos

Next article

Zonta: não entendo porque melhoro só no fim do campeonato

Zonta: não entendo porque melhoro só no fim do campeonato
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Stock Car Brasil
Evento Interlagos II
Autor Gabriel Lima