Próximo de grande projeto, Jimenez diz: “quero ser campeão”

Em entrevista exclusiva ao Motorsport.com, Sergio Jimenez diz que negocia com projeto grande para a temporada 2017 da Stock Car; para piloto, acerto "será uma surpresa para o mercado"

Nas últimas três temporadas da Stock Car, Sérgio Jimenez atuou por três equipes diferentes - Cimed Racing em 2014 (quando ainda era Voxx Racing), C2 em 2015 e na Cavaleiro Sports em 2016.

Sem seguir no time para o próximo ano, Jimenez concedeu uma entrevista exclusiva para o Motorsport.com, na qual abordou as temporadas recentes e revelou ter propostas para um projeto maior, tanto em tempo quanto em estrutura, para a temporada 2017 da Stock Car.

"Eu tenho algumas coisas muito boas rolando, acho que será uma surpresa para o mercado. Ainda não é 100% e eu não posso falar nada, mas é um negócio muito interessante. É um projeto como os das grandes empresas", disse Jimenez, que em seguida resumiu o que foram, para ele, os últimos anos na categoria.

“As coisas nunca foram fáceis na minha carreira. Sempre foi muito difícil, mas sempre consegui chegar – quase cheguei à Fórmula 1, andei na GP2 mesmo com as dificuldades financeiras. Na Stock foi difícil também, mas consegui um parceiro – a Cimed. Eu trouxe eles para cá, fizemos um grande projeto”, afirmou.

“Depois entrei na C2, que era uma equipe nova e precisava de muitos ajustes. A gente conseguiu organizar e fazer funcionar – venci com eles, conquistei pódios. No entanto, não consegui ficar lá, pois o Julio (Campos) terminou sem emprego com a saída da Prati e tinha sociedade na equipe, então acabou indo para lá.”

“Eu ia fechar com o Mico, mas ele perdeu o patrocínio e acabei fechando com a Cavaleiro, que me acolheu muito bem – o Beto foi um grande cara para mim neste ano – e fizemos a mesma coisa. Quando eu entrei, ninguém conhecia ninguém, fomos colocando os mecânicos no lugar, ajeitando as peças e levei três pessoas de confiança para o time.”

"Organizamos as coisas e crescemos bastante – o top-10 era nossa realidade. Mas depois disso, é o que falei: trabalho no carro e continuidade. É muito mais fácil chegar, sentar no carro, colocar o capacete e brigar pela primeira posição."

Ao analisar as dificuldades, Jimenez ressalta que sempre preferiu olhar para o lado positivo de cada situação, ainda que os problemas acabassem desanimando um pouco. "De todos estes anos, eu tenho que tirar algo positivo - e é o que tenho feito. Muitas vezes a gente pensa 'pô, de novo isso'. Mas é como se Deus viesse e sempre desse um sopro para a gente continuar", destacou.

Sobre o futuro e o projeto que busca, Jimenez não escondeu a pretensão: ser campeão da Stock Car. "Quero sentar em um projeto e conseguir fazer um trabalho bacana, evoluir com esse projeto. Quero ser campeão da Stock Car, acho que tenho capacidade para isso. A categoria está muito competitiva e o nível dos pilotos tem aumentado cada vez mais, estou orgulhoso de estar aqui."

“Ainda não tenho nada acertado, mas ver que tem muita coisa acontecendo me deixa feliz, pois o pessoal tem dado valor à minha história. Minha intenção é ter um projeto de médio prazo, com investimentos bacanas. Quero chegar num final de semana mais tranquilo, entrar em um carro e só pensar em acelerar.”

Criação de base da Cimed

Jimenez, que foi um dos que esteve no início do projeto que hoje é bicampeão da Stock Car, considera-se parte integrante da construção da melhor equipe da categoria na atualidade e destaca que o sucesso do time serve de exemplo para que outras empresas invistam como a Cimed investiu - que é justamente o que o piloto busca nas negociações em que está envolvido.

“No projeto da Cimed, eu posso dizer que negociei a equipe, junto com o pessoal e com o suporte do João (Adibe) me dando a base para avançar. Eu me considero parte daquilo, infelizmente não conseguimos dar continuidade em 2015, mas é um grande projeto. Já são quatro anos de trabalho, dois anos com títulos.”

“Eles merecem tudo, o pessoal é trabalhador e estão fazendo uma bela gestão. Então isso é bom para o esporte, bom para o automobilismo. Todos estão vendo que trabalho sério e paciência – pois nada acontece da noite para o dia no esporte a motor – dá resultado. Precisa de grana, de paciência, formar um time. É essencial ter harmonia, o final de semana é curto – isso faz toda a diferença.”

“As empresas estão percebendo isso, então a tendência é as coisas crescerem aqui na Stock Car. Se tudo caminhar bem, farei parte de mais um projeto deste”, completou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Pilotos Sergio Jimenez
Tipo de artigo Entrevista