CEO do WEC vê Fórmula E apenas como “evento de marketing”

compartilhar
comentários
CEO do WEC vê Fórmula E apenas como “evento de marketing”
Por: Gabriel Lima
28 de mar de 2018 12:38

Gerard Neveu diz que não enxerga categoria de carros elétricos como concorrente do Mundial de Endurance

Depois de ver Audi e Porsche deixando o Mundial de Endurance em anos seguidos, o WEC perdeu força em sua principal categoria, a LMP1, que neste ano terá apenas a Toyota como fabricante.

Muitos apontam que a principal razão por trás do fato de as marcas estarem saindo do campeonato é o crescimento da Fórmula E, que em sua quinta temporada terá montadoras como BMW, Audi, Nissan, Jaguar e Citroen, com a Porsche chegando na temporada seguinte.

No entanto, o CEO do WEC, Gerard Neveu, não acredita que a Fórmula E seja um empecilho para seu evento.

 

Gerard Neveu, WEC CEO
Gerard Neveu, WEC CEO

Foto: FIA WEC

Perguntado pelo Motorsport.com se acha que a Fórmula E representa uma ameaça ao WEC, Neveu disse: “não”.

“Estamos falando de esporte a motor hoje, e isso não está em questão. A Fórmula E faz eventos de marketing nas cidades, e não há como comparar. No fim, são atividades complementares, não conflitantes.”

“O que eles fazem é mais marketing do que esporte a motor puramente dito. É completamente diferente. Não há uma luta de uma contra a outra. Eles estão fazendo um programa de marketing e nós esporte a motor. Na minha opinião, são coisas complementares.”

Com apenas a Toyota no grid atualmente entre os protótipos, Neveu diz que ainda existem fabricantes interessadas em ingressar no campeonato a partir dos novos regulamentos de motor prometidos para a temporada 2020-2021.

“Já estamos sentando para conversarmos sobre isso, mas isso está focando nos regulamentos de 2020”, seguiu.

“É um trabalho permanente. Tivemos já muitas reuniões com a comissão técnica, e representantes de diferentes marcas estão envolvidos nestas discussões. Não vamos mudar os regulamentos técnicos falando: ’esta é nossa decisão’. Fazemos isso com base em discussões, e no que eles têm como prioridade.”

“Por exemplo, tivemos que considerar o orçamento primeiro, porque esta é a realidade do mundo agora. Incluímos isso na decisão. Você precisa de três sistemas híbridos no carro, ou só um está bom? É uma boa pergunta para encontrarmos a resposta. Estamos trabalhando com as montadoras e com técnicos da FIA e da ACO para encontrarmos o melhor regulamento para 2020.”

Próxima WEC matéria
Chefe do WEC crê em ano de reafirmação com Super Season

Previous article

Chefe do WEC crê em ano de reafirmação com Super Season

Next article

Promotor: 6h de SP será desfecho de ano cheio de eventos

Promotor: 6h de SP será desfecho de ano cheio de eventos

Sobre esta matéria

Categoria WEC
Autor Gabriel Lima
Tipo de matéria Últimas notícias