Com Senna, Rebellion volta à LMP1 para temporada 2018/2019

Andre Lotterer e Neel Jani são as grandes novidades. Bruno Senna se mantém no time

A Rebellion Racing está de volta à LMP1 do mundial de endurance (WEC), após um ano na LMP2. A equipe contará com os ex-Porsche, Andre Lotterer e Neel Jani.

Os pilotos atuais, Bruno Senna e Mathias Beche permanecerão, com Gustavo Menezes e Thomas Laurent vindos da Signatech Alpine e a Jackie Chan DC Racing, respectivamente.

A Rebellion ainda não confirmou o carro que usará, mas se espera que continue sua parceria com a Oreca, com a Gibson na unidade de energia.

Um retorno ao R-One, usado em 2016, antes de ir para a LMP2 já foi descartado pelo chefe da equipe, Bart Hayden.

"Estou ansioso para voltar onde minha carreira de endurance começou há nove anos", disse Jani, que correu com a Rebellion no WEC antes de se juntar à Porsche em 2014.

"A Rebellion Racing desempenhou um papel importante na minha carreira e também me ajudou a me tornar um piloto de fábrica da Porsche. Quando a Porsche parou na LMP1, ficou claro para mim que tinha que voltar a correr pela Rebellion.”

"Com os novos regulamentos, espero que possamos alcançar o pódio global em Le Mans e com um pouco de sorte, talvez ganhar algumas corridas durante a temporada de WEC."

Lotterer, que correu pela última vez com um carro privado na LMP1 em 2009, pela Kolles, acrescentou: "O projeto da LMP1 é muito emocionante e para poder continuar com as 24 Horas de Le Mans e o desafio do WEC é algo que eu não queria perder.”

A Rebellion revelará seus carros em março, no Salão de Genebra.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias WEC
Pilotos Andre Lotterer , Neel Jani
Tipo de artigo Últimas notícias