Mesmo fora do pódio de Spa, Senna mantém liderança da LMP2

Brasileiro comemorou quarta posição da classe, em prova que teve vitória brasileira na LMP1

O trio formado pelo brasileiro Bruno Senna, o português Filipe Albuquerque e o mexicano Ricardo Gonzalez comemorou o quarto lugar nas 6 Horas de Spa-Francorchamps, segunda etapa do Mundial de Endurance (WEC). 

Com o resultado, o trio conservou a liderança na classe LMP2, beneficiado ainda pelo fato da equipe dos terceiros colocados não pontuar pelo campeonato - a Manor está disputando somente as corridas iniciais e as 24 Horas de Le Mans no mês que vem. A vitória na categoria foi do francês Nicolas Lapierre e os parceiros Gustavo Menezes (EUA) e Stéphane Richelmi (Mônaco), com um Alpine A460-Nissan.

"Saímos num lucro bruto. Nosso carro não era nem de longe o mais rápido da pista. Estávamos tomando dois segundos por volta. Hoje, nosso potencial era para terminar mais ou menos na mesma sexta posição em que largamos", explicou Bruno. 

"Vamos bem em pistas velozes, mas onde a pressão aerodinâmica conte mais, o que não é o caso desta aqui."

Bruno, Albuquerque e Gonzalez chegaram aos 40 pontos, contra 36 do paulista Pipo Derani, do britânico Ryan Dalziel e do canadense Christopher Cumming, que chegaram em segundo e repetiram a posição das 6 Horas de Silverstone. 

"Mesmo com um carro claramente inferior, conseguimos fazer uma corrida sólida, sem cometer erros. Acho que só falhamos na estratégia no finalzinho, quando trocamos quatro pneus no último pit stop. Se tivéssemos mexido só nos traseiros, teríamos economizado 20 segundos e impedido que o Pipo saísse dos boxes na nossa frente", observou Bruno. 

"Mas não dá para reclamar: manter a liderança depois de uma corrida que sabíamos que seria complicada foi melhor que o esperado."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias WEC
Evento Spa
Sub-evento Sábado
Pista Spa-Francorchamps
Pilotos Ricardo Gonzalez , Bruno Senna , Filipe Albuquerque
Tipo de artigo Últimas notícias