Oreca vê Toyota "um passo à frente" no WEC

compartilhar
comentários
Oreca vê Toyota
Sergio Lillo
Por: Sergio Lillo
Co-autor: Roman Wittemeier
Traduzido por: Daniel Betting
8 de fev de 2018 08:39

O gerente técnico do fabricante francês deixa claro que a Toyota deve ser superior às equipes privadas da LMP1 no WEC porque eles "investiram e trabalharam"

#8 Toyota Gazoo Racing Toyota TS050-Hybrid: Sébastien Buemi, Anthony Davidson, Kazuki Nakajima
#8 Toyota Gazoo Racing Toyota TS050-Hybrid: Sébastien Buemi, Anthony Davidson, Kazuki Nakajima
#38 Performance Tech Motorsports ORECA LMP2: James French, Kyle Masson, Pato O'Ward, Joel Miller
#7 Toyota Gazoo Racing Toyota TS050 Hybrid: Mike Conway, Kamui Kobayashi, Stéphane Sarrazin
#99 JDC/Miller Motorsports ORECA 07, P: Stephen Simpson, Mikhail Goikhberg, Chris Miller, Gustavo Me
#54 CORE autosport ORECA LMP2, P: Jon Bennett, Colin Braun, Romain Dumas, Loic Duval

A Toyota terá em 2018 uma oportunidade única para ganhar o WEC e as 24 horas de Le Mans. Mas isso é, ao mesmo tempo, uma faca de dois gumes. Serão a única equipe oficial da categoria LMP1 entre vários times privados, como Rebellion/Oreca, BR Engineering/Dallara, ByKolles e Manor/Ginetta.

O ajuste do regulamento técnico diante da ausência da Porsche na categoria levou o ACO e a FIA a tentar reduzir as diferenças entre o LMP1 híbrido e o motor atmosférico de seus rivais. No entanto, a oposição particular à Toyota considera que os japoneses devem estar um passo à frente por manter-se, apesar da ausência de outros fabricantes.

O diretor técnico da Oreca, David Floury, deixa claro em uma entrevista ao Motorsport.com: "A Toyota tem que estar em um nível diferente, eles trabalharam muito e investiram, então eles merecem ser mais rápidos do que os privados".

"Eles apoiaram todas as categorias, permanecem no WEC apesar da ausência de outros fabricantes. Não devemos esquecer. Os carros privados estarão mais próximos do que em 2017, mas a Toyota, mesmo assim, deve estar à frente".

Mas ele adverte: "No entanto, a oportunidade para uma equipe LMP1 privada em Le Mans é tão grande quanto foi por muito tempo. Pescarolo provavelmente teve a última chance desse tipo em 2005. Dez anos antes, Courage poderia ter conquistado Le Mans. Sempre há ciclos como esse".

"Em algum momento, uma pequena janela se abre para os privados e eles obtêm uma grande oportunidade. Qualquer um que tenha a chance de conseguir algo assim em 2018/19 tem que torná-lo real. A próxima ocasião desse tipo provavelmente chegará em 2030".

Toyota tomou os serviços de Fernando Alonso para a sua sétima participação nas 24 horas de Le Mans depois de retornar ao endurance após 13 anos de ausência. Em 1999, eles conseguiram ficar em segundo lugar em La Sarthe com o Toyota GT-One com os japoneses Ukyo Katayama, Toshio Suzuki e Keiichi Tsuchiya, resultado que igualaram em 2013, 2016 e 2017. Em 2014 conseguiram ser campeões do WEC.

Próxima WEC matéria
Fisichella retorna ao WEC com a Ferrari na classe GTE Am

Previous article

Fisichella retorna ao WEC com a Ferrari na classe GTE Am

Next article

Webber espera que “distrações” no WEC não atrapalhem Alonso

Webber espera que “distrações” no WEC não atrapalhem Alonso
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria WEC
Autor Sergio Lillo
Tipo de matéria Últimas notícias