Pizzonia aposta no WEC e descarta F-E para correr em 2016

Piloto brasileiro se foca em possível oportunidade para ser piloto regular na subcategoria LMP2

A vitória com Marcos Gomes em Curitiba no último final de semana deu a Antonio Pizzonia uma alegria em um ano que por ora se mostra bastante complicado. Sem lugar na Stock Car, o piloto tenta um posto em algum campeonato mundial.

Sem oportunidades competitivas da Fórmula E, ele aposta suas fichas em um lugar no WEC.

“Estou conversando com duas equipes bem competitivas de LMP2. Vamos ver se vai dar certo. As próximas duas semanas são cruciais”, disse o amazonense ao Motorsport.com.

“Aqui na Stock Car é muito difícil. Nem sei que equipes teriam carros para o resto da temporada, mas as que têm com certeza não tem nenhuma condição de brigar com as equipes grandes.”

“Desde o ano passado coloquei na cabeça que não voltaria para a categoria em um time que não tivesse condições de brigar grandes. É muito difícil para mim correr no Brasil. Estou tentando ir para fora, ver algo no WEC,  na LMP2. Espero que seja o caminho para este ano".

Ele diz que, pela desigualdade que marca a temporada 2015-16, a Fórmula E deixou de ser uma opção. “Se eu fosse para a Fórmula E seria no fim da temporada deles, não seria nada de imediato”, contou.

“Mas, nesta temporada, analisando melhor, ainda existe uma grande diferença de equipamentos. Abriram bastante o regulamento, o que faz as equipes fazerem seus motores e câmbios. Está tudo muito diferente. Talvez dar o pulo para esta categoria e cair no lugar errado fosse ser muito arriscado.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias WEC
Pilotos Antonio Pizzonia
Tipo de artigo Últimas notícias