Todt quer pelo menos três fabricantes na LMP1 para 2020/2021

Presidente da FIA quer que pelo menos três fabricantes estejam competindo quando as novas regras da LMP1 entrarem em vigor

Jean Todt acredita que a nova classe, nomeada de GTP, atualmente em discussão, exige que um trio de montadoras esteja desde o início.

O francês afirmou que o esforço para reduzir custos pode resultar em mais fabricantes se juntando à classe superior do WEC ao longo do tempo.

"Eu diria que para começar a considerar algo, você precisa de um mínimo de três fabricantes", disse Todt.

"Temos algumas ideias muito boas para reduzir drasticamente os custos no mais alto nível do campeonato de endurance que será muito atraente para as fabricantes."

"Sem ser otimista demais, posso ver de cinco a sete fabricantes na categoria superior do WEC. Um sucesso seria 10. Temos outras categorias de automobilismo onde há 10 fabricantes envolvidos."

Promotor da categoria, o Automobile Club de l'Ouest prevê o mínimo de dois fabricantes na LMP1.

O CEO do WEC, Gerard Neveu, ainda não foi informado sobre quantos fabricantes a série almeja para o primeiro ano das novas regras, dizendo apenas que quer "entre um e 10".

Atualmente, existem cinco fabricantes envolvidos activamente nas discussões sobre as novas regras, cujo esboço geral deverá ser anunciado durante a semana das 24 Horas de Le Mans, no próximo mês.

Ferrari, Aston Martin e Ford confirmaram que são participantes desse processo, juntando-se à Toyota e McLaren. Foi apurado que a Porsche está como observadora.

As novas regras permitirão que os fabricantes dêem aos seus carros GTP a aparência de suas máquinas de rua, mantendo os atuais níveis de desempenho a um custo menor.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias WEC
Tipo de artigo Últimas notícias