Governo do Quênia apoia retorno do clássico Safari Rally

compartilhar
comentários
Governo do Quênia apoia retorno do clássico Safari Rally
Por: David Evans
Traduzido por: Daniel Betting
14 de fev de 2018 21:01

O histórico Safari WRC espera voltar ao calendário graças à ajuda de mais de um milhão de euros do governo queniano

A aposta de voltar a ter Nairobi de volta ao calendário 2020 do WRC recebeu o apoio do presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta e do vizinho Uganda.

Parte dos fundos será usado para estabelecer o WRC Safari Rally Project, que supervisionará a organização e o desenvolvimento de um Safari Rally ao estilo WRC no final deste ano e que será um candidato real para a próxima temporada.

"A aprovação por parte da FIA do Safari Rally no Quênia em 2018 a nível continental (vem) com a esperança de conseguir (categoria) WRC para 2020", disse o secretário do gabinete para esportes do Quênia, Hassan Wario.

O presidente da FIA, Jean Todt, também apoia há muito tempo o retorno do WRC à África. Sabe-se que ele e Kenyatta falaram sobre isso quando se conheceram em 2015.

O presidente da junta de automobilismo de Uganda, Dusman Okee, também pediu ao promotor do WRC, Oliver Ciesla, no final de 2017 para voltar a ter uma etapa na África, algo que não acontece desde 2002.

"Levamos em conta a longa e importante história do Safari Rally no World Rally Championship e o lugar que ocupa nos corações da população queniana", disse Ciesla. "Agradecemos à paixão, os grandes esforços e o compromisso que o governo do país e a Federação de Automobilismo do Quênia estão dando ao projeto para devolver o WRC à África".

 

Alister McRae
Alister McRae

Photo by: Mitsubishi Motors

"Estamos empenhados em organizar uma rodada do WRC no continente africano no futuro próximo e continuaremos a trabalhar em estreita colaboração com o governo e a federação com o objetivo de ver novamente o Safari Rally no calendário do WRC".

O Safari Rally continuou a ser celebrado depois de sair do calendário do WRC há 16 anos, mas o evento que atualmente faz parte do Campeonato Africano é uma sombra do que era.

Em um retorno hipotético ao WRC, provavelmente seria disputado em uma rota similar à de 2002, que teve 12 especiais em três dias em mais de mil quilômetros.

Próxima WRC matéria
Em sua estreia no WRC, Sainz recorda histórias do pai

Previous article

Em sua estreia no WRC, Sainz recorda histórias do pai

Next article

Após carreira na Indy, Pagenaud quer disputar provas de rali

Após carreira na Indy, Pagenaud quer disputar provas de rali
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria WRC
Autor David Evans
Tipo de matéria Últimas notícias