Chile está fora do Dakar 2019

País andino não fará parte da rota do maior rali do mundo, com este anúncio, a ASO teve que adiar a coletiva que estava marcada para esta segunda-feira

O Chile não fará parte da rota da 41ª edição do Dakar. A situação econômica do país e os custos de trazer e organizar o evento são muito altos e isso retardou a chegada do maior rali do mundo.

"Hoje enfrentamos uma situação fiscal muito delicada. O governo está implementando uma política de austeridade. Isso significa que temos de tomar nossos recursos de forma responsável", Pauline Kantor, ministra de esportes, de acordo com a agência EFE .

"Nós temos uma emergência com crianças, idosos e atletas que têm que se classificar para os Jogos Pan-americanos em Lima 2019 e os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. Então nós decidimos que este ano o Chile não fará parte do Dakar de 2019."

No entanto, o Chile continuará em negociações com ASO, organizadora do Dakar, para a edição de 2020. "Esperamos voltar com o Dakar em 2020 com toda a proteção ao nosso patrimônio cultural e meio ambiente", acrescentou a ministro em sua conta oficial no Twitter.

Esta decisão foi acompanhada pelo atraso no anúncio que a ASO iria fazer nesta segunda-feira, que revelaria a rota da 41ª edição. "Os países anfitriões nos moveram novos elementos que nos forçam a adiar o anúncio da jornada", justificaram membros do Dakar ao Motorsport.com.

Bolívia, Argentina e Equador estiveram nos últimos meses na mesa de negociações para acompanhar o Peru, em janeiro de 2019.

Nunca antes, desde que deixou a África, o Dakar levou tantos meses para apresentar sua próxima edição. Em 2017 eles fizeram isso no final de março, enquanto que em 2016 foi em abril e em 2015 também em março. Além disso, o nome do diretor esportivo que substituirá Marc Coma permanece no ar.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Dakar
Evento Dakar
Tipo de artigo Últimas notícias