Peugeot deixará seus pilotos competirem entre si no Dakar

Bruno Farmin, diretor da Peugeot Sport, deixou claro que não haverá ordens de equipe, ou questões desse tipo para favorecer Sebastien Loeb no Dakar

Ganhar o Rally Dakar é o único que se pensa na Peugeot Sport, de acordo com seu diretor, Bruno Famin.

Famin disse que o time deixará a competição após 20 de janeiro e espera menos problemas do que teve no ano passado, devido às condições climáticas.

"A rota do Dakar de 2018 é longa e complicada. Teremos mais sol durante toda a corrida, pelo menos. Ou não confirmaram que teremos sol?" brinca o dirigente francês.

No ano passado, as condições climáticas atingiram duramente a organização e a levou a cancelar quase 50% dos quilômetros cronometrados. "Podemos pensar que o ano passado foi algo excepcional, que não será repetido... ou que devemos esperar. Mas é certo que na última etapa do Dakar 2018, o circuito em torno de Córdoba, com mais de 30°C, como anunciou o diretor de esportes Marc Coma, me preocupa se estiver chovendo".

Sebastien Loeb está enfrentando sua última chance de ganhar o Dakar, como o próprio piloto confirmou várias vezes nos últimos meses, e Famin foi perguntado se a Peugeot ajudará o nove vezes campeão do WRC.

"A força de nossa equipe é ter um time capaz de ganhar com os quatro pilotos e navegadores usando um carro realmente bom. Nossos quatro membros sabem como tirar 100% do potencial do 3008 DKR e isso não pode ser dito de todos", responde Famin.

"Estou convencido de que, no final, será o próprio piloto quem fará a diferença porque no meio haverá algum problema, apesar de tentar construir o melhor carro possível. Vencerá o piloto que souber resolvê-los".

"A única coisa que sabemos nesta corrida, como em todos os raids, é que muitas coisas acontecerão: meteorologia ou incidentes de corrida, bem como falhas de pilotagem, mecânicas ou de navegação. É impossível saber quem vencerá, se será Loeb ou não. Para nós, o importante é que um de nós vença e estaremos satisfeitos se isso acontecer"

"Não duvido nem um segundo que cada um de nossos pilotos dará tudo para ganhar porque são profissionais com um registro de enorme nível e quando eles correm. Deixam suas almas”.

Sobre o mistério do novo X-Raid e MINI, ele admite que ele conhece entre pouco e nada: "Nunca vi o carro até que ele foi apresentado em Paris no dia anterior à apresentação do Dakar 2018. Por outro lado, sabíamos que isso existia, mas não tentamos saber mais. Como a Peugeot, como um estilo de atitude, estamos sempre preocupados com nossas coisas. Estamos concentrados em nosso trabalho, não duvidamos que outros tenham trabalhado bem, mas não fomos ver o que estavam fazendo".

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Dakar
Pilotos Carlos Sainz , Sébastien Loeb , Stéphane Peterhansel , Cyril Despres
Equipes Peugeot Sport
Tipo de artigo Últimas notícias