Sainz: Saída da Peugeot do Dakar sem título teria gosto ruim

compartilhar
comentários
Sainz: Saída da Peugeot do Dakar sem título teria gosto ruim
Valentin Khorounzhiy
Por: Valentin Khorounzhiy
Co-autor: Sergio Lillo
23 de jan de 2018 15:41

Campeão do maior rali do mundo acredita que precisava do triunfo pessoal para engrandecer história da fabricante francesa

Stéphane Peterhansel, Carlos Sainz, Peugeot Sport
Car winner Carlos Sainz, Peugeot Sport
Car winner Carlos Sainz, Peugeot Sport
#303 Peugeot Sport Peugeot 3008 DKR: Carlos Sainz
Winner #303 Peugeot Sport Peugeot 3008 DKR: Carlos Sainz, Lucas Cruz

Carlos Sainz, que ganhou seu primeiro Dakar em 2010 com a Volkswagen, foi para Peugeot antes do retorno da marca ao evento em 2015.

A fabricante francesa precisou de apenas duas tentativas de conquistar o Dakar depois do retorno, com o sucesso de Stephane Peterhansel em 2016 e adicionando uma segunda vitória no ano seguinte.

Sainz, por sua vez, abandonou os três primeiros Dakar com a Peugeot, mas conquistou o título na última chance, em 2018, depois que a marca anunciou que o programa estava chegando ao fim.

"Eu decidi enfrentar esse capítulo há quatro anos com a Peugeot, para trabalhar com um carro vencedor", disse o bicampeão do WRC ao Motorsport.com.

"Isso foi alcançado no segundo ano, e eles ganharam nos últimos três. Eu contribuí com o meu grão de areia.”

"Mas é verdade que a nossa vitória estava faltando, e teria ficado com um mau gosto na minha boca, tendo trabalhado tanto nesse projeto e neste carro, se eu não tivesse conseguido uma vitória pessoal."

Apesar do triunfo de 2018 no Dakar ser relativamente confortável, enquanto ele terminou 44 minutos de seu rival mais próximo, Sainz descreveu a pressão da maratona como "brutal".

"Claro que há momentos de tensão. É uma corrida que, a cada dia, há muito estresse, há momentos em que você pensa que vai ficar preso ou quando parece que se perdeu.”

"Há muitos sustos porque há muitas armadilhas ao longo da rota. O estresse dessas duas semanas é brutal.”

"Então houve a penalidade, problemas mecânicos ... São duas semanas de muito, muito estresse, e você tem que levar com calma, ir dia-a-dia.”

"Isso é o que eu tentei fazer, foco no dia-a-dia e não olhar para o longo prazo.”

"Você tem que aprender o que é o Dakar. Você tem que aprender a gerenciar o estresse, ter paciência, o que é algo difícil para mim.

"Eu tenho no meu DNA nunca jogar a toalha e isso é acentuado aqui no Dakar. É uma corrida muito especial e um desafio que leva todos os pilotos à vantagem."

Próxima Dakar matéria
GALERIA: A festa dos vencedores do Dakar 2018

Previous article

GALERIA: A festa dos vencedores do Dakar 2018

Next article

Organização anuncia data da largada do Dakar 2019

Organização anuncia data da largada do Dakar 2019
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Dakar
Evento Dakar
Pilotos Carlos Sainz
Equipes Peugeot Sport
Autor Valentin Khorounzhiy
Tipo de matéria Últimas notícias