Alonso elogia carro, mas não se diz "nem mais, nem menos otimista"

Espanhol destaca evolução da Ferrari em condições de pista molhada, apontando melhor aquecimento de pneus

Alonso ocupou o quarto lugar em ambas as sessões

Após duas quartas colocações nos treinos de sexta-feira para o GP da Austrália, Fernando Alonso garantiu que não está “nem mais, nem menos otimista” que antes de colocar sua Ferrari na pista, mas frisou que as mudanças feitas no F2012 surtiram o efeito desejado.

“Temos de esperar, porque acho que hoje não dá para olhar a classificação. O carro se comportou bem, tínhamos aderência e não tivemos problemas para conseguir bons tempos, tanto com os intermediários, quanto com os pneus de seco e estou bastante contente.”

O espanhol garantiu que a Ferrari vai encarar a classificação com o que tem de melhor, ou seja, incorporando o que foi testado hoje.

“As sensações foram bastante boas. Em geral, é difícil tirar conclusões nas sextas-feiras e, hoje, mais do que nunca, devido às poucas voltas que demos com a pista seca. Mas é o mesmo parar todos. Pelo menos fizemos todos os testes importantes que queríamos fazer, com resultados positivos ou como esperávamos que seriam, então podemos dizer que estão aprovados e acredito que vamos para a classificação com o melhor que temos.”

“Só não pudemos avaliar os tipos de pneus, mas isso aconteceu com todos e vamos tentar fazer isso amanhã de manhã. Também tive a oportunidade de pilotar com o carro no molhado, o que não aconteceu comigo nos testes, e correu tudo bem.”

“O comportamento do carro com a temperatura de pista mais baixa e trechos molhados, inclusive, animou Alonso. Com os problemas de aquecimento de pneus que os carros anteriores da Ferrari apresentavam, esse tipo de condição era especialmente difícil para seus pilotos.”

“Veremos o que podemos fazer em classificação. Se houver uma situação como hoje, de chove, para, por algum motivo qualquer conseguimos um bom rendimento na primeira volta, coisa que ano passado era impensável. Não só aqui, mas em circuitos como Spa, em que sofríamos muito, vamos ver se pudemos solucionar isso.”

Ainda que salientando que não se pode tirar muitas conclusões dos tempos desta sexta-feira, Alonso afirmou que não se surpreende com o bom rendimento da Mercedes.

“Acho que Michael andou bem porque a Mercedes vez um inverno sério, sem querer mostrar muito e sabendo que tinham feito um bom carro. Hoje, pareceu que eles foram bem. Mas essa classificação não dá para levar a cabo. Não creio que a Red Bull esteja em décimo e Kovalainen, em oitavo. Mas é claro que a Mercedes deu um passo adiante.”

Alonso destacou ainda a importância das duas primeiras corridas para determinar quais as maiores deficiências do carro em relação aos rivais, já que são pistas bastante diferentes entre si.

“Temos problemas de tração mas, em relação às freadas, é algo que tem a ver com as novas regras e todos estamos com problemas com isso, já que os escapamentos soprados no difusor e os mapas de motor que deixavam quase todo gás aberto ajudavam. Temos de melhorar muito e veremos como será o rendimento nesses dois primeiros circuitos, que são completamente diferentes: este é de freada e aceleração e o da Malásia é de grandes curvas e manter-se em velocidades mínimas bastante altas.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Austrália
Pilotos Fernando Alonso
Tipo de artigo Últimas notícias