Brawn: F1 pode acabar com treinos de sexta-feira

compartilhar
comentários
Brawn: F1 pode acabar com treinos de sexta-feira
Adam Cooper
Por: Adam Cooper
Traduzido por: Gabriel Lima
24 de out de 2017 11:15

Diretor administrativo da FOM diz querer solução para mais corridas no calendário, mas apenas se for sustentável

Ross Brawn, Managing Director of Motorsports, FOM
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17
DHL freight
DHL freight
Kimi Raikkonen, Ferrari SF70H
Huge crowds in the grandstands
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-17
Max Verstappen, Red Bull Racing RB13
Lance Stroll, Williams FW40
Sebastian Vettel, Ferrari SF70H
Marcus Ericsson, Sauber C36
Felipe Massa, Williams FW40

Parte do novo corpo de gestão da Fórmula 1, Ross Brawn falou que a categoria tem planos de ter um calendário de 25 corridas, sugerindo que o fim dos treinos de sexta-feira são opção para aliviar a pressão logística sobre as equipes.

No entanto, o diretor administrativo da FOM também admitiu que a ideia de um fim de semana de apenas dois dias choca com os esforços para dar aos promotores algo mais para vender. Algumas corridas europeias expandiram neste ano de três dias de atividade para quatro, prática já feita pelo GP da Austrália, com categorias suporte andando na quinta-feira.

De acordo com Brawn, uma abordagem "mente aberta" será aplicada em termos de formato para o futuro.

"Acho que falando de número de corridas, a qualidade é a coisa vital", disse Brawn.

"Não é bom ter mais corridas, a menos que sejam corridas de qualidade. Então a localização, o tipo de pista e a capacidade de ter uma ótima corrida são vitais.”

"As equipes terão problemas logísticos se adicionarmos mais provas, é claro. Uma das coisas que estamos fazendo é analisar o formato do fim de semana de corrida, para ver se precisamos mudar isso para torná-lo logisticamente mais fácil para fazer mais corridas. Então, estamos com uma mente muito aberta sobre como avançaremos."

Brawn sublinhou que não quer mudar o formato do domingo: "Acho que a corrida ainda é para mim pessoalmente muito importante. Não estamos querendo mudar o evento principal. Mas, uma pergunta aberta: precisamos andar na sexta-feira?”

"Porque se não tivéssemos carro na pista na sexta-feira, poderíamos fazer mais corridas. Logisticamente seria melhor para as equipes. Mas os treinos de sexta-feira ainda são importantes para os promotores e para as emissoras. Como encontraremos a solução certa?”

"Então, estamos olhando para todos estes elementos para ver o melhor caminho a seguir. A qualidade é a coisa vital nas corridas, não devemos apenas adicionar mais corridas porque podemos aumentar os números. Não seria sustentável. Nós tivemos corridas no passado que vieram, não tinham qualidade e acabaram. Isso não é bom para os nossos negócios."

Ajuda aos promotores locais

Brawn acrescentou que ajudar os organizadores das corridas também se tornou uma prioridade.

"Uma das coisas que eu me orgulho deste ano é a mudança no relacionamento com os promotores", disse ele.

"Nós somos uma organização agora que quer dizer 'sim' quando o promotor precisa de algo.”

"Aqui nós adiantamos a classificação em duas horas, para as 16h. E (o chefe da pista) Bobby Epstein me disse nesta manhã que ele tinha mais 20 mil espectadores do que já tinha tido.”

"Então, somos muito receptivos à forma como trabalhamos com os promotores. Garanto a você que não era este o caso no passado.”

"E há uma atitude completamente diferente de como trabalhamos juntos. E eu vi isso. Esses caras (Liberty) nunca viram o que acontecia no passado. Eu vi. Prometo a você que há um mundo de diferenças. "

Próxima Fórmula 1 matéria
Grosjean ouve “cala a boca” no rádio durante GP dos EUA

Previous article

Grosjean ouve “cala a boca” no rádio durante GP dos EUA

Next article

Hamilton: Veganismo e saída de Rosberg me ajudaram a evoluir

Hamilton: Veganismo e saída de Rosberg me ajudaram a evoluir

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper
Tipo de matéria Últimas notícias