Brawn se diz ofendido com críticas à Liberty Media

compartilhar
comentários
Brawn se diz ofendido com críticas à Liberty Media
4 de abr de 2018 19:27

Britânico diz que organização jamais tentou descaracterizar a Fórmula 1: “acho muito frustrante que as pessoas nos acusem”

Diretor de automobilismo da Fórmula 1, Ross Brawn disse que se ofendeu com as sugestões de que a Liberty Media esteja tentando descaracterizar o campeonato.

No ano passado, o presidente da Ferrari, Sergio Marchionne, ameaçou retirar sua equipe do esporte se os donos dos direitos transformassem a categoria em algo que definiu como uma "NASCAR global".

Brawn, que apresentará sua visão para os futuros regulamentos da F1 para as equipes no Bahrein nesta sexta-feira, rejeitou a ideia de que a Liberty pretende diluir o lado tecnológico da F1.

"Acho importante ter uma visão de como vemos a Fórmula 1", disse ele à Radio Sport da Nova Zelândia.

“Acho muito frustrante que as pessoas nos acusem de estragar o DNA disso, daquilo e da outra coisa. A Fórmula 1 tem uma longa história de competição incrível e é o auge do automobilismo. Por que escolheríamos danificar isso?”

"Acho ofensivo quando as pessoas me acusam de simplificar o esporte, porque sabemos que, se fizéssemos isso, estragaríamos o esporte e estragaríamos nossa base comercial também."

No entanto, Brawn disse que as principais equipes da F1 devem entender que o custo de competir na F1 se tornou excessivo.

“As equipes de ponta no momento provavelmente estão gastando duas ou três vezes o que gastavam há cinco ou seis anos atrás. E mesmo assim você não diria que há cinco ou seis anos atrás o esporte era burro. É apenas uma questão de grau.”

“Temos que ajudar as equipes de ponta a reconhecer e perceber que, para termos um esporte para o futuro, temos que redefinir as receitas comerciais e redefinir a quantidade de recursos que as equipes têm permissão para explorar a fim de proporcionar uma competição mais emocionante."

Brawn disse que o trabalho para melhorar a qualidade das corridas na F1 é um exemplo de como a categoria está abordando as decisões de maneira diferente em sua nova administração.

“Estamos olhando para uma solução total para todas as partes. Sabemos da queda percentual no desempenho que ocorre quando um carro se aproxima de outro carro e já encontramos maneiras de melhorar isso, reduzindo o ar perturbado do carro da frente e reduzindo a sensibilidade do carro que segue esse fluxo.”

"Estamos tentando fazer isso de uma maneira bem estruturada. Essa será a solução que aplicaremos para 2021. E qualquer coisa que possamos desenvolver enquanto isso e for considerada segura, pode ser aplicada.”

"Mas acho fundamental que aproveitemos esta oportunidade para fazermos decisões baseadas em evidências. Então, vamos tomar uma decisão baseada em evidências adequadas: como obtemos essas evidências? Como fazemos essa análise da informação para que possamos ao menos tomar uma decisão baseada em algum trabalho?"

"É assim que funciona uma equipe de Fórmula 1. E por que a Fórmula 1 não pode fazer um trabalho esportivo dessa maneira, em vez de tomar decisões instintivas, compulsivas e não instintivas e reativas? Precisamos de decisões adequadamente estruturadas."

Próxima Fórmula 1 matéria
Meteorologia prevê sol e calor para GP do Bahrein

Previous article

Meteorologia prevê sol e calor para GP do Bahrein

Next article

Sauber: ida de ex-FIA às equipes pode quebrar de confiança

Sauber: ida de ex-FIA às equipes pode quebrar de confiança

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Tipo de matéria Últimas notícias