Carros da F1 devem manter barbatanas em 2018

compartilhar
comentários
Carros da F1 devem manter barbatanas em 2018
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
15 de set de 2017 19:44

Antes proibidos para o próximo ano, dispositivo deve ser mantido para abrigar patrocínios

Scuderia Toro Rosso STR12 shark fin engine cover detail
Mercedes F1 W08 shark detail
Mercedes AMG F1 W08 chimney shark fin detail
Haas F1 Team VF-17, shark fin
Ferrari SF70-H monkey seat detail
Red Bull Racing RB13 rear wing detail
Kimi Raikkonen, Ferrari SF70H

Protestos dos fãs no início desta temporada - quando a nova geração de carros da F1 trouxe barbatanas de tubarão e asas em T - levou o Grupo de Estratégia a implementar mudanças de regulamento que os proibiriam no próximo ano.

No entanto, na sequência da última reunião de regulamentos técnicos que aconteceu no início desta semana, surgiu que as equipes e a FIA estão reconsiderando a situação das barbatanas.

Uma das questões que surgiu é que as equipes não estão satisfeitas com a quantidade de espaço que poderiam ser de patrocínios que teve que ser entregue a números maiores nos carros.

Desde o GP da Espanha, as equipes tiveram que exibir números maiores e os nomes dos pilotos, em uma tentativa de ajudar os fãs a identificá-los.

Após discussões para encontrar uma resposta melhor para a situação do número, agora foi sugerido que as barbatanas de tubarão voltem.

O diretor técnico da Force India, Andy Green, disse que após o apoio dos times, uma proposta será colocada no Grupo de Estratégia da F1 para que a barbatana seja usada para identificar os motoristas.

"A barbatana possivelmente ainda estará conosco", explicou. "Eles estão olhando para uma mudança na redação [das regras] para trazer a tampa do motor de barbatana de volta, porque as equipes perceberam que perderam espaço para os patrocinadores."

Apesar da permanência da barbatana, as equipes e a FIA permaneceram firmes ao banir as asas em T.

Monkey seat banido

Outra mudança nos regulamentos técnicos da F1 aprovado pelas equipes para 2018 é a proibição dos "monkey seats" na parte traseira dos carros.

Essas mini asas, que estão debaixo da asa traseira, cresceram em complexidade nos últimos anos, à medida que as equipes procuram qualquer força de pouso extra que puderem.

Green acrescentou: "Acho que a FIA estava preocupada com o fato de as equipes começarem a utilizar os modos do motor para energizar essa asa, o que é algo que sou contra há bastante tempo."

"Eles queriam garantir que a rota estivesse fechada e todos concordassem. Houve concordância unânime de todos os times que não queremos seguir essa rota e fazer a FIA verificar todos os mapas do motor e fazer tudo isso novamente. Preferimos nos livrar disso."

Próxima Fórmula 1 matéria
Palmer diz que soube da mudança de Sainz pela internet

Previous article

Palmer diz que soube da mudança de Sainz pela internet

Next article

Raikkonen: Muitas coisas não fizeram sentido hoje

Raikkonen: Muitas coisas não fizeram sentido hoje
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble
Tipo de matéria Últimas notícias