Ecclestone critica democracia e elogia Putin e Blatter

compartilhar
comentários
Ecclestone critica democracia e elogia Putin e Blatter
Adam Cooper
Por: Adam Cooper
16 de out de 2015 16:43

“Não acho que ele deveria ter renunciado, e não acho que ele jamais deveria ter sido desafiado. Por causa dele, temos muitos países ao redor do mundo que estão jogando agora futebol"

Bernie Ecclestone e Christian Horner, chefe da Red Bull Racing Team
Faixa com recado a Bernie Ecclestone
Matteo Renzi, Primeiro Ministro da Itália com Bernie Ecclestone
Bernie Ecclestone com Maurizio Arrivabene, Ferrari
Vladimir Putin, com Bernie Ecclestone,
Carmen Jorda, Lotus F1 Team e Bernie Ecclestone,
(L to R): Vladimir Putin, Russian Federation President with Bernie Ecclestone,
Bernie Ecclestone,
Bernie Ecclestone e Romain Grosjean, Lotus F1 Team on the grid
Ecclestone discutindo com produtores de leite
Ecclestone tomando leite
Bernie Ecclestone, em um encontro com fazendeiros belgas
Bernie Ecclestone
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 com Bernie Ecclestone,

Bernie Ecclestone voltou a provocar polêmica. Em entrevista ao canal russo RT, o dirigente da Fórmula 1 fez elogios a figuras polêmicas como Vladimir Putin e Joseph Blatter e voltou a criticar a democracia.

A entrevista foi feita pela jornalista política Sophie Shevardnadze. Veja alguns dos pontos polêmicos da entrevista:

Rússia usando a F1 para se promover
“Não acho que a Rússia precise de eventos esportivos para ser grande ou parecer grande. O que ela faz é expor para o resto do mundo o que a Rússia é – e essa é a diferença.”

Putin
“Super. Sou o seu maior apoiador.”

Sobre democracia na F1
“Não acho que haja qualquer espaço para democracia, antes de tudo.”

Por ser um “ditador” bem-sucedido
“Se você consegue chegar nas pessoas para mais ou menos, ficarem alinhadas ao que você está tentando fazer e te apoiando, então isso parece com democracia.”

Liderança
“O problema hoje é que o mundo não tem muitos líderes reais. Se você analisa todos os países e tenta pegar alguém – não é fácil. Você tem alguns caras que pensam que poderiam estar fazendo isso, mas eles não estão.”

Joseph Blatter
“Não acho que ele deveria ter renunciado, e não acho que ele jamais deveria ter sido desafiado. Por causa dele, temos muitos países ao redor do mundo que estão jogando agora futebol. E se essas pessoas alegam que foram corrompidas para fazer as coisas em seus países, isso é bom. É um imposto que o futebol teve de pagar.”

F1 depois de Bernie
“Eles provavelmente irão encontrar alguém que faça um trabalho muito melhor que estou fazendo. Talvez de uma maneira diferente. Talvez um pouco mais democrático.?”

Regulamento da F1
“Acho que boa parte do regulamento técnico está muito rigoroso. É como se estivéssemos em uma casa velha e as pessoas continuando a colocar coisas e peças. Só que ninguém sabe por que elas foram colocadas. Sou tão culpado como qualquer outra pessoa. Talvez tenhamos que rasgar tudo e começar outro livro.”
“Ficamos tão clínicos sobre muitas regras e regulamentos. E os pilotos, quando saem para largar, deveriam estar por eles mesmos. Não deveriam ter ajuda do pit, mas apenas conselhos sobre algumas coisas.”

Show da F1
“Estamos no show business. No minuto que pararmos de ser entretenimento, estaremos com problemas. Pessoas gostam de corrida... e acho que o nosso maior problema é que eu e você já sabemos quem será o campeão mundial deste ano. Isso não está certo.”
“Pessoas vêm para assistir corrida, e eles não querem saber o resultado antes da largada. Essa é a regra básica que temos de rasgar.”

Lewis Hamilton
“Ele é uma pessoa muito aberta e que genuinamente quer fazer coisas boas para a F1. Ele aprecia o negócio que está participando.”

Pilotos
“Você fica próximo de alguns pilotos. Alguns deles são fáceis de você se aproximar. Fiquei muito próximo de alguns amigos. Cada um deles tem alguma coisa em especial. Tenho conversado com Hamilton sobre coisas que ele quer fazer – e ele está pensando no longo prazo, portanto é bom poder motivá-lo.”

F1 no Oriente
“Estamos em um Campeonato Mundial, sempre foi um Mundial. Éramos baseados mais ou menos na Europa – portanto mal podia ser um Mundial. Quando surgiu a oportunidade de mudar, eu tentei ter corrida (lá) ainda nos anos 80. Portanto, sempre quis essa mudança.”

“Acho que a Europa é uma coisa do passado. É legal para pessoas da China e até mesmo daqui (Rússia) visitar e ver como era o passado. Não vai a lugar nenhum.”

Sobre os EUA
Não estou muito entusiasmado sobre a América. O maior problema é que eles acreditam que são a maior potência do planeta. E é difícil, porque eles são uma grande ilha, portanto estão um pouco isolados, mas eles estão aos poucos aprendendo com as outras pessoas do mundo.”

Como seria a vida fora da F1
“Podia ter continuado na minha antiga profissão. Era um vendedor de carros, portanto podia ter continuado com isso. Comprei uma equipe e decidi me aposentar desse negocio, viajei pelo planeta e cuidei da minha equipe, mas me apeguei a coisas...”

Próxima Fórmula 1 matéria
Magnussen: recebi aviso de demissão no dia do meu aniversário

Previous article

Magnussen: recebi aviso de demissão no dia do meu aniversário

Next article

Lotus diz que acidente de Grosjean não teve falha técnica

Lotus diz que acidente de Grosjean não teve falha técnica
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper
Tipo de matéria Entrevista