Fabricantes não poderão fornecer motores antigos a equipes

A FIA confirmou que as fabricantes de motores da F1 não poderão disponibilizar motores de segunda linha para suas equipes clientes na próxima temporada

Os rumores de que a Ferrari poderia oferecer motores versão 2015 para a Red Bull e Toro Rosso foram dissipados. O livro de regras da FIA, publicado nesta quarta-feira, deixa claro que a manobra não será tolerada pelo regulamento para o próximo ano.

O artigo 23.5 diz: "apenas unidades de potência que são idênticas à unidade de potência que foi homologada pela FIA pode ser usada em um evento durante as temporadas de 2016 e 2020."

Ao mesmo tempo que essa regra veda diferentes especificações do motor, ela não elimina a possibilidade de fabricantes usarem um melhor software de mapeamento ou produtos no combustível para garantir uma vantagem competitiva sobre seus clientes.

Decisão unânime

 

Ainda há uma possibilidade de que o regulamento seja modifica, mas será preciso uma decisão unânime de todas as equipes.

O artigo 1.2 diz: "essas regulamentações foram publicadas no dia 30 de setembro e só podem ser modificadas após esta data com a decisão unânime de todos os competidores inscritos na temporada 2016, salvo mudanças feitas pela FIA por questões de segurança, que podem entrar em vigor sem qualquer aviso."

Com o encontro das fabricantes para discussão das regras na quinta-feira, é possível que haja uma acordo, desde que ele seja do interesse tanto de Red Bull como de Ferrari. Algumas equipes já expressaram apoio no sentido de aprovar alterações no regulamento e permitir que motores de segunda linha sejam usados.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias