FIA promete regras do motor de 2021 para próximo mês

compartilhar
comentários
FIA promete regras do motor de 2021 para próximo mês
Scott Mitchell
Por: Scott Mitchell
Co-autor: Adam Cooper
Traduzido por: Daniel Betting
26 de mai de 2018 18:45

Equipes da Fórmula 1 receberam a promessa de que as regras do motor para 2021 sairão até o final de junho

Christian Horner, Red Bull Racing Team Principal, Dr Helmut Marko, Red Bull Motorsport Consultant and Cyril Abiteboul, Renault Sport F1 Managing Director
Toto Wolff, Mercedes AMG F1 Director of Motorsport and Frederic Vasseur, Sauber, Team Principal in the Press Conference
Pierre Gasly, Toro Rosso STR13
Zak Brown, Executive Director, McLaren Technology Group
Sergio Perez, Force India VJM11
Marcus Ericsson, Sauber C37

Autoridades da Liberty Media e da FIA se reuniram com equipes da Fórmula 1 na sexta-feira para conduzir a segunda rodada de negociações sobre os regulamentos de 2021.

Acredita-se que a Pirelli estava ausente, mas o presidente da FIA, Jean Todt, esteve no encontro, perdendo a apresentação original dos chefes da F1 no Bahrein.

Aspectos econômicos dominaram a reunião, mas os futuros regulamentos de motores também foram discutidos, com Todt estabelecendo um prazo para o final de junho, depois da meta inicial de maio.

Zak Brown, CEO da F1 da McLaren, disse que foi encorajado pelo compromisso de Todt "porque estávamos procurando por alguns prazos definitivos".

"Agora eu acho que todas as equipes estão ansiosas para ver não apenas as regras do motor implementadas, mas o equilíbrio da governança, da economia e do esporte, para continuar, porque todos nós precisamos nos adaptar rapidamente ao que claramente deva ser uma nova Fórmula 1 em 2021."

O chefe da Renault, Cyril Abiteboul, sugeriu à Sky Sports F1 que demorariam "semanas, se não meses" antes que as equipes obtivessem um conjunto completo de regulamentações.

Outra parte importante da reforma planejada para a F1 em 2021 é o teto orçamentário, sugerido em US $ 150 milhões.

Regras aerodinâmicas mais simples e padronização de alguns componentes do carro resultariam na redução do número de funcionários e permitiriam que as equipes operassem com menos gastos.

O chefe esportivo de F1, Ross Brawn, deixou claro que essas mudanças não necessariamente deixariam centenas de pessoas sem trabalho, já que elas poderiam se juntar a equipes que têm menos recursos.

Equipes como Sauber, Toro Rosso e Force India provavelmente ainda terão espaço para aumentar o número de funcionários, fornecendo trabalho para funcionários de equipes maiores que poderiam perder suas funções.

Na reunião, foi sugerido às equipes que organizações maiores poderiam progressivamente alcançar um número reduzido de pessoal em algumas temporadas a partir de 2021, em vez de imediatamente ter que aderir a um limite.

O chefe de automobilismo da Mercedes, Toto Wolff, disse que é importante que a Liberty tenha reconhecido que um teto de custo é "um processo, não um evento".

"Este foi um ponto muito bom", disse Wolff. "É preciso passar por vários anos e é preciso considerar as várias estruturas que estão sendo implantadas. Eles estão aproveitando nosso feedback."

Brown disse que a McLaren poderia redirecionar seus funcionários para outros programas, especialmente ao revisar possíveis campanhas no Campeonato Mundial de Endurance e da IndyCar.

"Somos uma equipe de corrida ágil, uma grande organização, e estaremos bem adaptados para reagir a quaisquer regras implementadas”, disse.

"Mas é por isso que queremos saber mais cedo para podermos começar a fazer os planos certos."

Próxima Fórmula 1 matéria

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Scott Mitchell
Tipo de matéria Últimas notícias