Haas admite sorte em top-6, mas agradece Ferrari

Romain Grosjean conquista um importante resultado para a equipe norte-americana em sua primeira prova na F1

Foi como um “conto de fadas”. Depois de sair de 18º, Romain Grosjean conquistou um fantástico sexto lugar na primeira corrida da equipe Haas na Fórmula 1. Ele se beneficiou da bandeira vermelha após o acidente de Alonso e Gutierrez. Sem precisar fazer o pit stop por ter trocado os pneus na paralisação, ele segurou outros pilotos que vinham atrás.

Chefe do time, Gunther Steiner agradeceu à Ferrari pela parceria técnica na preparação para esta estreia.

"Sem a ajuda da Ferrari, isso não teria acontecido. Não poderia", disse Steiner.

"Por isso dissemos que não íamos fazer como outras novas equipes, porque seria mais do mesmo. Nós ficaríamos cinco ou seis anos sem pontos.”

"Eu sou cauteloso ao dizer que está funcionando, porque ainda temos de repetir os pontos. É apenas uma corrida. Mas o carro está aí, no meio do grid. Isso já é positivo."

Steiner disse que a competitividade do carro foi mais satisfatória do que o próprio resultado, depois de Grosjean conseguir segurar outros pilotos de equipes mais estabelecidas atrás.

"Depois de ontem eu não esperava terminar em sexto", acrescentou Steiner. "Esperávamos uma boa estratégia para terminar nos pontos. 10º ou nono, mas não sexto.”

"Ser competitivo ante aos outros carros é mais satisfatório do que qualquer outra coisa."

Steiner admitiu que Grosjean foi beneficiado pela paralisação causada pelo acidente entre seu companheiro Esteban Gutierrez e Fernando Alonso.

"Com certeza. E talvez a falta de sorte de ontem tenha virado hoje. Você nunca sabe. Algumas você ganha, algumas você perde."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Austrália
Pista Albert Park Circuit
Equipes Haas F1 Team
Tipo de artigo Últimas notícias