Horner: "Não acho que Seb acredite que comanda a equipe"

Chefe da Red Bull não acredita que a desobediência de Vettel no GP da Malásia tenha minado sua autoridade

Após o próprio Sebastian Vettel ao ignorar as ordens para manter-se atrás do companheiro Mark Webber nas voltas finais do GP da Malásia, o chefe da equipe, Christian Horner, afirmou que não vê sua autoridade ameaçada dentro do time.

Vettel venceu a corrida em Sepang contra a determinação da equipe, que queria evitar o confronto direto entre os pilotos, preocupada com o desgaste de pneus. Na China, onde disputa neste final de semana a terceira etapa do campeonato, o tricampeão afirmou que se desculpou por não ter compreendido a ordem, mas deixou claro que faria tudo de novo e escancarou as rixas internas com Webber, que também deixou de ajudá-lo no passado.

“Minha liderança foi minada? Não acho”, afirmou Horner. “Lidero a equipe desde quando a Red Bull entrou no esporte até conquistar os três títulos, e houve problemas no caminho, mas eles levaram o time adiante. Não acho que Seb acredite que ele comanda a equipe. Ele sabe que os empregamos – e sabe por quê.”

O inglês lembrou que o mesmo tipo de atitude que fez Vettel desafiar a própria equipe também lhe trouxe muitas conquistas. “Seb não conseguiu todo esse sucesso que tem na carreira sendo submisso, ele viu uma oportunidade, tinha guardado um jogo de pneus e queria aquela vitória mais do que qualquer coisa.”

“Na corrida, ele não fez o que eu pedi”, resumiu. “Fiquei feliz? Não. Ele se desculpou? Sim. Ele aprendeu? Sim. Ele faria de novo? Ele explicou novamente – mas há histórico entre estes dois pilotos. Não é algo novo, acontece há quatro ou cinco anos. Eles formam uma das parcerias com mais sucesso na história da Fórmula 1.”

Questionado sobre a relação entre sua dupla de pilotos, Horner afirmou que ela “não é tão diferente àquela que eles tinham antes da Malásia”.

Outra questão que o chefe da equipe tem de resolver é encontrar uma forma de atender ao desejo do dono da marca Red Bull, o austríaco Dietrich Mateschitz, que não quer mais ver ordens de equipe.

“Depende de qual situação você considera uma ordem de equipe. O que Dietrich não quer ver é uma situação em que os pilotos não podem disputar um com o outro. Nossa preocupação na Malásia não era a disputa, mas as consequências em termos de desgaste e o risco à nossa dobradinha. Do lado da Red Bull, claro que queremos que os pilotos corram com igualdade total.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da China
Tipo de artigo Últimas notícias