Kubica diz que esforço vem de “70% da mão esquerda” após acidente

compartilhar
comentários
Kubica diz que esforço vem de “70% da mão esquerda” após acidente
Edd Straw
Por: Edd Straw
17 de ago de 2018 16:56

Polonês descreveu seu estilo de dirigir na Fórmula 1 como "70% canhoto e 30% destro" após retorno de lesão

Robert Kubica, Williams
Robert Kubica, Williams FW41
Robert Kubica, Williams FW41
An engineer with Robert Kubica, Williams Martini Racing
Robert Kubica, Williams FW41
Robert Kubica, Williams FW41

Robert Kubica, de 33 anos, realizou cinco dias de testes e participou duas vezes de treinos livres até agora neste ano, e se adaptou com sucesso a uma técnica dominante do lado esquerdo, graças às limitações do braço e mão direita.

Mas falando em uma entrevista na última edição da revista Autosport, o vencedor do GP do Canadá de 2008 diz que a mão esquerda desenvolveu força e precisão muito maiores para compensar os danos sofridos em seu acidente de rali em fevereiro de 2011. 

"Muitos anos atrás, quando comecei a testar nos simuladores, perguntei ao meu médico se é possível que eu tenha sensibilidade muito melhor, mais precisão no meu braço esquerdo", disse Kubica.

"No ano passado, fui convidado pela Renault para ir a um centro médico onde eles testaram muitas dessas coisas.”

"Na verdade, meus resultados de precisão e velocidade e força do braço esquerdo foram pelo menos 35% melhores que os melhores que já viram.”

"De alguma forma, seu corpo se adapta à realidade. Se você é ambidestro, saudável, você não precisa ser tão preciso com um braço.”

"Então, por exemplo, quando estou guiando, 70% pelo lado esquerdo e 30% pelo direito.”

"Se eu fosse tentar fazer 50/50 como nos velhos tempos, eu não conseguiria."

Leia também:

Kubica diz que este estilo de dirigir agora vem naturalmente.

"Está vindo naturalmente porque é assim que eu tenho que fazer isso", disse Kubica. "Não posso tentar fazer as coisas que costumava fazer porque, com minha limitação, não sou capaz de fazer.”

"Isso não é apenas para dirigir, mas também viver.”

"Tudo o que tentei fazer da mesma forma fiquei desapontado, mas depois percebi que ainda podia fazer de forma diferente."

Kubica enfatiza que não há risco associado a este tipo de condução, e que é muito mais seguro do que os dias em que os pilotos costumavam usar parte do braço ou da perna para cobrir buracos no cockpit para ativar o F-Duct.

Isso aconteceu durante a temporada de 2010, quando tais truques foram usados ​​para parar a asa traseira nas retas.

Kubica enfatiza que, ao contrário de 2010, ele não está guiando com uma só mão, embora sua mão direita não faz os movimentos completos que fazia antes do acidente.

"Em 2010, eu estava na Eau Rouge com a Renault na classificação com uma mão porque eu estava cobrindo o buraco da asa traseira e eu estava", disse Kubica.

"Isso era muito mais perigoso do que guiar agora, porque eu estava apenas com uma mão.”

"Claro, há momentos em que eu guio apenas com a mão direita ou digamos a mão esquerda na reta, estou recuperando minha mão esquerda.”

"Mas isso vem automaticamente e eu acho que sou muito sortudo na minha posição porque eu sempre dirijo não de uma maneira física.”

"Eu dirijo muito relaxado. Eu falei com outros pilotos que têm que segurar o volante de outra maneira eles não poderiam fazer isso."

Próxima Fórmula 1 matéria
Coulthard: "Luta entre Hamilton e Vettel fará história"

Previous article

Coulthard: "Luta entre Hamilton e Vettel fará história"

Next article

No aniversário de Piquet, relembre 10 grandes momentos na F1

No aniversário de Piquet, relembre 10 grandes momentos na F1
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Robert Kubica
Equipes Williams
Autor Edd Straw
Tipo de matéria Últimas notícias