Motor Ferrari de Vettel sobreviveu ao caos de Cingapura

Verificações dos técnicos da Scuderia confirmaram que o motor do carro do alemão, apesar do impacto sofrido com Raikkonen na largada do GP de Cingapura, não sofreu nenhum dano grave

Nem tudo é negativo na Ferrari. Pode parecer um paradoxo, mas é a verdade: a unidade de poder de Sebastian Vettel não tem sérios danos. Eles dizem que os controles que os técnicos de Maranello fizeram no SF70H não foram gravemente danificados após o acidente na largada da Marina Bay.

O motor não acendeu os alarmes após o forte impacto contra Kimi Raikkonen que atingiu no lado esquerdo do carro, uma área perto dos radiadores de água e óleo que no carro da Ferrari estão posicionados na forma de V.

A Scuderia não pode permitir outro passo em falso no restante da temporada e ter salvado a vida do motor '3' deve permitir à equipe chegar ao final do campeonato 2017 sem penalidades.

O motor '4', de fato, deve estrear na pista em Sepang, mas não deverá completar os seis GPs restantes, então o de Cingapura que conseguiram economizar será importante para a rotação e evitar penalidades no grid.

Lembramos que a última Ferrari homologada pelo motor terá de cumprir o limite de queima de óleo imposto a partir do GP da Itália, em Monza. Os novos motores introduzidos não devem exceder um consumo de 0,9 litros por 100 quilômetros, enquanto os anteriores podiam queimar até 1,2 kg, o que proporciona uma inegável vantagem de desempenho, uma vez que o lubrificante é adicionado com substâncias antiaderentes que permitem um aumento significativo de potência durante momentos específicos.

Deve-se notar que a Mercedes não precisa cumprir este novo limite, pois introduziu seu motor "4" em Spa Francorchamps, uma corrida antes da de Monza.

Os pilotos liderados por Andy Cowell e, como se viu na classificação de Cingapura, parecem ter abandonado o potencial do "botão mágico" para salvaguardar a vida do motor '3', já que o ‘4’ de Lewis já havia completado duas corridas e não pode disputar as seis corridas restantes do calendário (cada unidade de energia deve fazer cinco GPs para evitar penalidades).

O motor '3' da Mercedes, que estreou em Silverstone e depois entrou na Hungria e em Cingapura, terá que ser usado novamente para evitar que Hamilton receba uma penalidade em uma das últimas corridas do campeonato.

Não é estranho, portanto, pensar que nem tudo está perdido para Sebastian Vettel. Maurizio Arrivabene disse depois da decepção de Marina Bay que o desafio do Mundial é mais difícil do que nunca, mas isso ainda não terminou...

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Sebastian Vettel
Equipes Ferrari
Tipo de artigo Últimas notícias