Pilotos já se preocupam da chuva afetar o GP da Malásia

Clima do país asiático é o mais instável que a F-1 visita no ano. Temperaturas muita altas também são um problema para os pneus

Prova de 2009 foi seriamente castigada pela chuva

Em um país onde o clima monçônico é atuante, o GP da Malásia sempre é disputado com a possibilidade de chuvas torrenciais – vide a edição de 2009, onde a prova teve que ser interrompida.

Para a edição de 2012 a previsão não indica nada novo. Segundo eles, Sepang deve ser abalroada por temperaturas muito quentes e pancadas de chuva durante todo o fim de semana.

Sabendo disso, alguns pilotos já tentam se prevenir de alguma forma:

“Cada sessão aqui, especialmente na parte da tarde, pode ser afetada pela chuva. Não há outro lugar no mundo por onde a Fórmula 1 passe em que se possa ter sol intenso a uma chuva torrencial no espaço de poucos minutos. Nem mesmo em Spa a variabilidade é tão aguda. Os que estão no muro do pit-lane terão que manter seus olhos abertos e olhar para o radar com cuidado para estarem prontos para qualquer possível mudança no clima", comentou o piloto da Ferrari, Fernando Alonso, em Sepang, Malásia.

Além da prevista chuva forte que deve complicar, e muito, a vida das equipes e pilotos, o clima malaio é de certo ponto hostil com relação à temperatura, ainda mais para os pneus.

“O desafio óbvio que enfrentaremos na Malásia é como você lida com o calor. Esta será a primeira vez este ano onde poderemos ver como os pneus de 2012 operam com estas temperaturas tão elevadas. Também temos que levar em conta a possibilidade de chuva forte quando estamos planejando as opções de configuração para cada sessão”, disse Mark Smith, o diretor técnico na Caterham.

A previsão do tempo para o Grande Prêmio da Malásia é de pancada de chuvas com trovoadas para a sexta, sábado e domingo.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Malásia
Tipo de artigo Últimas notícias