Presidente da Ferrari põe pressão e quer título já em 2016

compartilhar
comentários
Presidente da Ferrari põe pressão e quer título já em 2016
Franco Nugnes
Por: Franco Nugnes
5 de jan de 2016 14:19

Sergio Marchionne quer escuderia como "equipe a ser batida" já na Austrália

O presidente da Ferrari, Sergio Marchionne, espera um carro competitivo e brigando pelo título da Fórmula 1 desde a primeira etapa de 2016, no dia 20 de março, na Austrália. Durante a estreia da empresa na Bolsa de Milão, o mandatário disse que existe trabalho, investimento e confiança para que o título do Mundial de Pilotos volte à escuderia depois de oito anos.  

“Temos de ganhar. O título mundial tem que voltar para Maranello. Resultados esportivos agora vão carregar o peso mesmo nos círculos financeiros", disse Sergio Marchionne, que evocou a tradição da equipe.

“O ano deve ser o retorno ao topo. A equipe está lá e é forte. Os adversários também, mas queremos nos apresentar na Austrália como o time a ser batido, porque somos o time mais bem sucedido na história”, completou.

Em 2015 a Ferrari apresentou evolução, mas conseguiu quebrar o domínio da Mercedes apenas em três corridas no ano. Mas Marchionne acredita que a base para um sucesso ainda maior neste ano está construída.

“Fizemos todos os investimentos necessários para devolvermos  o título para Maranello. Tenho a certeza de que o trabalho realizado em 2015 por Maurizio Arrivabene (chefe de equipe) e toda a equipe é uma excelente base para uma temporada de sucesso em 2016.", completou.

O chefe da equipe, Maurizio Arrivabene, diz não sentir a pressão. "Marchionne é o presidente. Então, com razão, deve estabelecer metas. Não há nada de errado com isso o trabalho que eu faço, como a de outras pessoas na Ferrari, é para atingir os objetivos. Então, nada de errado. Pelo contrário ", disse. “Saberemos onde nos encontramos nos testes de Barcelona”.

Próxima Fórmula 1 matéria
Quinta em 2015, Force India crê em 2016 mais difícil

Previous article

Quinta em 2015, Force India crê em 2016 mais difícil

Next article

Para Newey, mudanças de 2017 não deixarão F1 diferente

Para Newey, mudanças de 2017 não deixarão F1 diferente
Load comments