Presidente da FIA descarta novas fabricantes na F1 em 2021

compartilhar
comentários
Presidente da FIA descarta novas fabricantes na F1 em 2021
Jonathan Noble
Por: Jonathan Noble
6 de set de 2018 11:54

O presidente da FIA, Jean Todt, não espera que nenhuma nova fabricante entre na F1 em 2021, mesmo com as regras propostas para aquele ano quanto ao regulamento de motor.

Uma repaginação nas regras da unidade de potência – para deixá-las mais baratas, mais barulhentas e menos complicadas – poderá ser definida antes do GP de Cingapura após discussões entre o Grupo Estratégico da F1.

A ideia inicial de uma mudança radical nas regras, o que incluía o descarte do MGU-H, foi recuada, embora uma série de novidades sejam analisadas para permitir que os pilotos forcem mais o ritmo e que o som dos carros seja melhor.

As novas regras também foram usadas para tentar cativar novas fabricantes a entrar na F1, com Porsche, Cosworth e Aston Martin de olho no desenvolvimento caso houvesse a oportunidade de entrar.

No entanto, a definição das regras foi postergada, e o presidente da FIA disse que os indícios são de que nenhuma nova fabricante entrará no começo.

Questionado pelo Motorport.com sobre a possibilidade de uma nova fabricante se juntar à F1, Todt disse que uma parte – que entende-se ser a Porsche – considerou seriamente, mas agora indicou que não dará luz verde ao projeto.

“Houve alguma demonstração de interesse por parte de um, que disse a nós que não estão em condição de se comprometer com a F1 em 2021, mas que é muito importante saber exatamente quais serão as regras, porque pode haver um forte interesse no futuro”, disse Todt.

Todt acrescentou que a coisa mais importante para ele é que a F1 pareça se destinar a um acordo que garanta que Mercedes, Ferrari, Renault e Honda estejam todas felizes em continuar.

“Minha prioridade é manter as quatro”, disse. “Sempre falei que seria injusto para as quatro se disséssemos ‘OK, queremos atrair novas fabricantes, então vamos mudar tudo’.”

“Mas e quanto a elas? E quanto ao investimento que elas tiveram por anos e que nós mudássemos completamente as regras porque queremos que uma ou duas cheguem?”

“Essa foi uma das razões pelas quais não era uma revolução no regulamento de motor. Agora, se pudermos garantir as quatro, para mim seria um grande feito.”

Todt acrescentou que nunca esteve confiante que a F1 iria atrair mais do que quatro fabricantes, já que a regra de motores é muito diferente de outras categorias.

“Sempre fui pessimista com o fato de que, com regras específicas para a F1, poderíamos ter mais de quatro fabricantes”, disse.

“Sinto que, pessoalmente, é um grande feito ter quatro fabricantes diferentes para 10 equipes, porque isso significa que são 2.5 [equipes] para cada [fabricante].”

“Então, eu estava muito cético. É por isso que pedi para que fosse considerado ter alguns regulamentos em comum com outras categorias, porque encorajaria outras fabricantes, para poder ter de sete a 10 fabricantes, para poder comprar o trem de força. Mas isso não aconteceu.”

Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09 and Pierre Gasly, Scuderia Toro Rosso STR13

Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W09 and Pierre Gasly, Scuderia Toro Rosso STR13

Photo by: Manuel Goria / Sutton Images

Próxima Fórmula 1 matéria
Sucessos de Vettel e Verstappen inspiram Gasly na Red Bull

Previous article

Sucessos de Vettel e Verstappen inspiram Gasly na Red Bull

Next article

Mercedes sugere 3º carro para dar chance a jovens pilotos

Mercedes sugere 3º carro para dar chance a jovens pilotos
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble
Tipo de matéria Últimas notícias