Red Bull ironiza medo de rivais e diz que não terá motor competitivo

Empresário Dietrich Mateschitz afirma que Red Bull não tem um "plano alternativo" e admite que decisão de permanecer ou não na categoria será tomada em breve

Dono da Red Bull, Dietrich Mateschitz afirmou que as esperanças de sua equipe de contar com um motor competitivo cessaram. O dirigente também adiou a decisão de continuar ou não na Fórmula 1.

O bilionário austríaco já admitiu publicamente que pode retirar Red Bull e Toro Rosso da categoria se não conseguir uma unidade de potência capaz de lutar por vitórias.

O prazo final de uma solução era no encerramento do mês de outubro, porém Mateschitz decidiu adiar um pouco mais enquanto ainda negocia com os fornecedores.

Mercedes e Ferrari já se recusaram a fornecer os seus propulsores para a Red Bull. Por sua vez, a Honda até cogitou negociar, mas foi vetada pela McLaren.

“As equipes de fábrica estão com medo de que poderíamos ser mais rápidos do que eles. Isso é muito claro para todos”, disse Mateschitz, em entrevista ao site da Speedweek.

A solução aparente neste momento é um acordo para usar os motores Renault sem a marca da montadora. Já a Toro Rosso andaria com propulsores da Ferrari, mas com especificação de 2015.

“Adiamos o nosso prazo final para duas ou três semanas. Não conseguimos ter acesso a um motor competitivo. Mas essa seria a primeira vez que não teríamos ideias alternativas.”

O empresário negou qualquer possibilidade de a Renault cancelar o possível acordo com a Lotus e comprar no lugar uma das equipes da fábrica austríaca de bebidas. “Totalmente impensável.” 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Daniel Ricciardo , Daniil Kvyat
Equipes Red Bull Racing
Tipo de artigo Últimas notícias