Sem TV aberta, F1 espera cobertura mais profunda na Itália

Os chefes da F1 confirmaram que a transmissão das corridas em TV aberta na Itália será drasticamente reduzida neste ano graças a um acordo exclusivo com a emissora paga Sky Itália.

Como o Motorsport.com revelou na semana passada, a emissora aberta a RAI não havia chegado a um novo acordo para os direitos de transmissão, o que deixou a Sky livre para aumentar seu controle.

A F1, portanto, concordou em assinar por três anos com a Sky, até o fim de 2020, com transmissão exclusiva na televisão paga e nos meios digitais.

Um comunicado da F1 afirmou que o acordo inclui “pelo menos quatro corridas” (incluindo o GP da Itália) a serem transmitidas no canal aberto TV8, de propriedade da Sky.

Mesmo que o novo acordo seja um duro golpe aos fãs que pretendiam assistir à F1 sem ter de pagar pela cobertura, o chefe de direitos de mídia da categoria, Ian Holmes, espera que o novo contrato com a Sky traga uma cobertura mais aprofundada.

“É muito importante chegar a esse acordo, o que garante que todas as corridas serão transmitidas ao vivo”, disse.

“Também é crucial manter um pacote de direitos para transmissão aberta, o que sempre incluirá o GP da Itália, que é parte do campeonato da F1 desde sua origem, em 1950.”

“A Sky Itália mostrou grande comprometimento com o esporte e oferecerá aos fãs italianos uma experiência mais profunda e ampla do que jamais foi feito antes, com mais horas e análises de qualidade em todos os canais da Sky e suas plataformas.”

O acordo digital exclusivo com a Sky significa que é quase certo que a F1 não será autorizada a implementar sua própria plataforma de streaming na Itália nos próximos três anos.

Em vez disso, é provável que o serviço seja iniciado nos Estados Unidos, Alemanha, Holanda, França e México.

Na Alemanha, F1 deixa a Sky

Enquanto a Itália está se distanciando da televisão aberta, a Alemanha não contará com a renovação do acordo com a TV fechada Sky, anunciou a emissora nesta quinta-feira.

Durante as conversas, a Sky Alemanha disse que não estava interessada em prolongar o contrato enquanto as corridas também eram disponíveis pela emissora aberta RTL.

A potencial chegada de uma plataforma de streaming própria da F1 também teve, provavelmente, impacto na situação.

Um comunicado da Sky diz: “O mercado para direitos de transmissão nos esportes mudou drasticamente. Devido aos preços crescentes, queremos nos concentrar em acordos que podemos comprar e usar com exclusividade.

“No caso da F1, isso não era possível, porque ela será transmitida 100% em TV aberta. A decisão não foi fácil, mas é nossa meta oferecer um serviço premium a um preço justo aos nossos consumidores – e isso não estaria totalmente disponível com a transmissão aberta.”

A Sky transmitia todas as corridas e treinos da F1 desde 1996. 

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias