Stock: veja o que disseram os pilotos sobre treinos coletivos

Categoria realizou pela primeira vez em muito tempo dois dias de treinos sozinha; ensaio aconteceu em Curitiba

Carros da Stock Car em Curitiba (Foto: Duda Bairros/Vicar)

Ricardo Maurício, Eurofarma RC: "Sabemos que não vale pontos, mas é um aquecimento para a temporada e estamos no caminho certo. Temos que construir os resultados a cada etapa. Principalmente agora que não temos mais que descartar pontos. No ano passado, eu estava em segundo lugar na última etapa e não concorria mais ao título por causa dos descartes. Penso que este ano teremos uma história diferente."

Max Wilson, Eurofarma RC: "Essa é uma categoria muito equilibrada e estamos todos virando muito próximos, por isso vamos pensar no carro para Interlagos que é o primeiro grande desafio da temporada."
 
Lico Kaesemodel, Credipar RCM: "Foram dois dias muito produtivos. Hoje pela manhã nos concentramos em concluir o trabalho iniciado ontem, visando voltas rápidas. A tarde foi voltada para simulação de corrida. Apesar do sol escaldante, o tempo ajudou para avaliar o desgaste de pneus nessas condições. O saldo positivo é que nosso ritmo de corrida é muito bom e o carro se mostrou bastante confiável. Precisamos fazer alguns ajustes nas voltas rápidas."
 
Galid Osman, BMC Full Time: "Este começo está sendo excelente. Eu e o Tuka (Rocha) estamos trocando muitas informações e a experiência também de nosso preparador (Maurício Ferreira) está ajudando muito para que a adaptação seja rápida. Completamos todo nosso cronograma: fiz voltas rápidas, andei com tanque cheio e simulei um GP. Com toda quilometragem acumulada, é como se eu já tivesse na bagagem disputado uns dois ou três GPs."
 
Tuka Rocha, BMC Full Time: "No automobilismo, a gente costuma brincar que é melhor ter problema mecânico em testes do que na classificação ou na corrida. Mas é bem por aí mesmo: meu carro é novo e é natural que alguns ajustes tenham que ser feitos. Tivemos que trocar de motor algumas vezes, troca o câmbio e tudo isso acaba encurtando o tempo de pista. Em todo caso, o entrosamento com o time está sendo excelente e tenho certeza de que vamos já começar competitivos."
 
Luciano Burti, Itaipava Boettger: "Deu para testar muita coisa, experimentar tudo o que precisávamos, exatamente como planejamos. O objetivo foi cumprido e é muito bom quando você consegue testar tudo o que deseja. Agora, o mais importante é o trabalho na oficina da equipe, com os dados que conseguimos coletar nesses dois dias. Agora é hora de fazer a lição de casa."
 
David Muffato, Itaipava Boettger: "Estamos levando para a oficina algumas melhorias em relação ao que tínhamos no ano passado. Mexemos muito no carro, muito mesmo, e nem tudo o que fizemos agradou. Mas o mais importante foi tirar todas as dúvidas que tínhamos e sair de Curitiba com coisas novas para pensar."
 
Diego Nunes, Hot Car: "Pela manhã, fizemos alguns testes e passamos os pneus novos, mas não conseguimos achar o acerto ideal. À tarde, voltamos para o equilíbrio que julgávamos ser o melhor depois de todos os testes e o carro estava realmente muito bom. Não tínhamos mais os pneus novos, mas mesmo assim consegui terminar em 11º. Agora é trabalhar para São Paulo, mas acredito que vamos estar entre os mais rápidos." 
 
Eduardo Leite, Hot Car: "É importante para ver como o carro está e assim já podemos trabalhar e melhorar para a etapa de São Paulo. Tivemos alguns problemas, mas continuo animado."
 
Rodrigo Sperafico, Prati-Donaduzzi Mico's: "Atingimos boa parte dos nossos objetivos para este treino, e fizemos pelo menos 70% dos testes que precisávamos realizar antes da primeira corrida", avaliou Ricardo, que no ano passado conquistou a pole position na etapa de Salvador. "Infelizmente a nossa quarta-feira não foi tão produtiva em razão de um problema no carro, mas conseguimos evoluir muito hoje (quinta) e o resultado apareceu. Ainda temos o que buscar, mas o sexto lugar no último treino de hoje mostra que estamos no caminho certo."
 
Ricardo Sperafico, Prati-Donaduzzi Mico's: "Conseguimos evoluir no desenvolvimento do carro, e também buscamos um maior entrosamento entre os pilotos e a nova estrutura técnica da equipe Prati-Donaduzzi. Nestes dois dias, tivemos doze horas de pista aberta para treinos, o que equivale ao volume de treinos que temos em praticamente metade da temporada. Por isso conseguimos testar muita coisa."
 
Daniel Serra, Red Bull: "Estes dois dias de treinos foram muito bons. Conseguimos fazer tudo o que a gente planejou e coletamos muita informação, que era o nosso objetivo aqui em Curitiba. Agora é trabalhar em cima destas informações para chegarmos bem fortes em São Paulo."
 
Cacá Bueno, Red Bull: "Os treinos foram muito proveitosos. Fizemos tudo que queríamos. Treinamos em diversas situações diferentes - simulação de corrida, simulação de classificação - e conseguimos levantar um grande número de dados, que, agora, serão analisados até a corrida de São Paulo. Mesmo não terminando o dia tão bem, em um dado momento, eu estava em segundo e o Daniel em quarto. O importante é que conseguimos um grande número de informação que serão muito úteis para a gente ao longo da temporada."
 
Denis Navarro, Neoquímica Vogel: "Fico contente com o que fizemos aqui, porque não só consegui melhorar essa marca como percebi que seremos competitivos na temporada. Toda vez que fomos para a pista andamos perto dos mais rápidos e isso motiva bastante. Era para fazer uma simulação de corrida, mas acabamos prejudicados com dois pneus furados. Daí não deu para voltar para a pista."
 
Átila Abreu, Mobil Super Pioneer AMG: "Foram dias muito proveitosos. Testamos diversas situações de corrida e de classificação e conseguimos bons tempos. Isso sem dúvida serve de referência para a temporada. É uma oportunidade única andar quase 70 voltas por dia. É praticamente a distância de dois grandes prêmios, considerando que as provas em 2012 serão mais curtas. Deu para testar a durabilidade do carro e ainda ficamos quase sempre entre os três mais rápidos. Então foi um desempenho bastante positivo."
 
Pedro Boesel, Comprafacil JF: "Desde que comecei na categoria de base da Stock, a Stock Junior, coloquei como meta este dia. Andei pela primeira vez neste carro e foi a realização de um grande objetivo. Agora espero me adaptar o mais rápido possível para lutar por bons resultados já neste meu primeiro ano com a equipe."
 
Antonio Pizzonia, Comprafacil JF: "Fico feliz em retornar à categoria e espero trazer bons resultados para a equipe Comprafacil.com. Nosso objetivo nos dois dias de treino foi simular condições de corrida e trocar bastante informação com o pessoal do time e com o Jorginho (de Freitas, chefe de equipe)." 
 
Thiago Camilo, Ipiranga RCM: “Teremos que achar um acerto misto, onde o carro se comporte bem na classificação e na corrida. Se a gente tiver um acerto muito agressivo na classificação,  os pneus não vão agüentar os 40 minutos de corrida. E provavelmente ninguém vai fazer pit stops para troca de pneus, porque numa corrida mais curta não daria tempo de recuperar o tempo perdido. Testamos muitas coisas diferentes nesses dois dias, sempre buscando esse novo acerto. Usei todas as voltas a que tinha direito.”
 
Alceu Feldmann, Shell A. Mattheis: "Na tomada de tempos, usamos um setup mais arrojado, com muita cambagem e pouca altura. Para a corrida, costumamos diminuir essa dose, para que o carro se mantenha constante durante a prova. Como os dez primeiros não poderão mexer nesses itens, a dinâmica da corrida ficará mais interessante, principalmente nas últimas voltas, pois esses carros estarão com maior desgaste de pneus."
 
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Tipo de artigo Últimas notícias