Vandoorne: Meu início de 2017 estava abaixo do meu padrão

Belga admite que no início de sua temporada "não era bom o suficiente", por conta dos problemas de confiabilidade da McLaren-Honda

Depois de uma carreira sólida nas categorias pré-F1, incluindo o título de 2015 da GP2 (hoje FIA F2)e uma temporada bem sucedida na Super Fórmula japonesa, Stoffel Vandoorne esperava um bom campeonato de estreia na F1.

Mas o piloto belga não conseguiu avançar do Q1 em nenhuma das cinco primeiras corridas, enquanto que Fernando Alonso ganhou aplausos por performances em um carro difícil.

Vandoorne aceita que fez um mau trabalho na primeira parte da temporada, mas diz que sua situação foi piorada pela falta de experiência, juntamente com falta de confiabilidade crônica do pacote McLaren-Honda.

"Eu sabia que no começo não estava bom o suficiente, mas também sabia que estava lidando com muitos problemas", disse Vandoorne ao Motorsport.com.

"As primeiras corridas não foram definitivamente para os meus padrões, mas foi apenas a minha primeira temporada na Fórmula 1, então esse tipo de relação com a equipe, com meus engenheiros, teve que se desenvolver. Por ter enfrentado tantos problemas, era difícil ir bem.”

"Quando as coisas começaram a melhorar um pouco, passei um pouco mais de tempo na fábrica, passava os dados e mais tempo no simulador, então tudo começou a se desenvolver do jeito certo."

O pós GP da Espanha

A McLaren fez um trabalho específico com Vandoorne após o GP da Espanha de maio, com o objetivo de melhorar sua forma.

Ele foi convocado para a sede da McLaren em Woking para sessões de simulador e encorajou a adaptar o seu estilo de condução, enquanto os engenheiros da equipe foram encarregados de deixar o carro com as necessidades da Vandoorne ao montar o carro.

Vandoorne fez o Q3 em Mônaco, largou à frente de Alonso em Silverstone, conseguiu uma extensão do contrato e, finalmente, terminou apenas quatro pontos atrás de Alonso no campeonato.

"Esse período perto de Mônaco, Canadá e Baku foram momentos-chave em que reunimos muitas informações", explicou Vandoorne.

"Os esforços maciços do meu lado da equipe começou a funcionar."

Depois de dominar consistentemente as corridas nas categorias de base da F1, Vandoorne admite que correr regularmente no meio do grid foi um ajuste difícil, embora a McLaren esteja esperando ser mais competitiva em 2018, depois de abandonar a Honda para os motores Renault.

"Definitivamente não é a posição em que quero estar, eu prefiro brigar na frente e por vitórias, é aí que eu provavelmente me sinto muito mais confortável com tudo o que fiz no passado", acrescentou Vandoorne.

"Acho que o time está indo na direção certa. Há muitas mudanças que são muito empolgantes, mas em termos de resultados reais ainda é muito difícil dizer.”

"Na F1 é muito difícil de prever - você tem que esperar até o teste de inverno, ir para o primeiro teste e então saber quão bom você é."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Stoffel Vandoorne
Equipes McLaren
Tipo de artigo Últimas notícias