Visões diferentes: Kimi e Grosjean analisam o porquê da Lotus não ter vencido

Enquanto o finlandês lamenta problemas nos começos de corridas, francês avalia que continuidade da dupla fará diferença

Já virou tradição nesta temporada os pilotos da Lotus falarem que poderiam ter ganhado uma corrida. Chegando em Hockenheim, foi a vez de Romain Grosjean afirmar que tinha ritmo para vencer na Grã-Bretanha, quando chegou em sexto após cair para último na terceira volta. Seu companheiro, Kimi Raikkonen, identifica o que está errado na equipe de Enstone. “Nas últimas corridas, tivemos problemas no início das provas por motivos diferentes e infelizmente temos nos colocado em posições ruins, o que impede de mostrar a velocidade”, afirmou ao TotalRace.

Para Grosjean, no entanto, a questão é mais profunda. “Não acho que a sorte é a única coisa que está nos afastando da vitória. Você precisa dela, com certeza, mas equipes como Red Bull, McLaren, Ferrari e Mercedes estão trabalhando com os mesmos pilotos há três ou quatro anos. Eles se conhecem, sabem trabalhar bem o acerto e sabem onde começar. Nós dois somos novos na equipe e, ainda que eles tenham a base do acerto, não éramos nós que estávamos no carro. Por isso as coisas não saem perfeitas. Espero que, ano que vem, se estiver no carro, possamos ver o que deu certo, ou não, e melhorar. Isso faz muita diferença, porque você pode começar com o acerto mais fino e perde muito menos tempo para fazer tudo perfeito.”

A dupla da Lotus acredita que seu carro está entre os melhores, mas afirma que não dá para apontar quem é o melhor. “Não dá para comparar porque parecemos ser mais rápidos em alguns lugares do que em outros, mas acho que no geral temos sido muito fortes em todas as provas, ainda que haja áreas em que tenhamos de melhorar”, diz Raikkonen. “Claro que, se fizermos tudo certo, podemos nos desenvolver tanto quanto os demais e ainda poderemos lutar com eles. A McLaren perdeu terreno nas últimas corridas e já não estão tão fortes, mas é algo que parece mudar a cada prova.”

Grosjean segue no mesmo discurso. “Acho que muda a cada corrida. Em Valência, a Red Bull era o carro a ser batido. Eles estavam voando com Vettel. Em Silverstone, éramos muito bons na corrida. Depende. Não acredito que haja um carro despontando. Tudo está muito próximo e isso faz com que a corrida seja interessante.”

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP da Alemanha
Pilotos Kimi Raikkonen , Romain Grosjean
Tipo de artigo Últimas notícias