Por que, mesmo modesto, time de Massa na F-E tem potencial

Piloto chega à categoria de carros elétricos em equipe que jamais ganhou, mas tem bons motivos para acreditar em melhora

Depois de 15 temporadas como piloto de Fórmula 1, Felipe Massa chegará no ano que vem à equipe Venturi na Fórmula E. Ver o piloto dando o próximo passo na carreira é um fato a celebrar, porém, notando o histórico do time na Fórmula E, é de se estranhar a escolha do brasileiro.

Até hoje a equipe não fez muito no campeonato. Na verdade, o momento de maior destaque do time até aqui foi exatamente na primeira corrida da história da Fórmula E, em Pequim no ano de 2014. Tentando assumir a ponta na última curva, Nick Heidfeld foi tocado por Nicolas Prost e abandonou a prova com uma capotagem impressionante no carro da Venturi a menos de 500 metros da linha de chegada.

 

De lá até aqui, o time (que chegou a até mesmo contar com o aposentado Jacques Villeneuve no início da temporada 2015-2016) conquistou apenas três pódios em quarto temporadas, nunca venceu e poucas vezes figurou na parte da frente do grid.

No entanto, isso tem tudo para mudar no futuro.

No último ano a equipe formou uma parceria que promete transformar sua história dentro do mundial - algo que certamente Massa esteve de olho ao assinar seu contrato de três anos.

A partir desta temporada, a Venturi está ao lado da HWA, time que atualmente é responsável por administrar as entradas da Mercedes no DTM, no GT e o desenvolvimento dos motores alemães para a Fórmula 3.

E com a saída da Mercedes do DTM ao fim deste ano, o caminho está aberto para uma maior participação da montadora via HWA na Fórmula E. Isso significa que a Venturi tende a aos poucos ter seu controle tomado pela montadora de Stuttgart, que confirmou sua entrada oficial na F-E a partir da temporada 2019-2020.

Com isso, Massa chega na F-E com um papel dos mais importantes. Piloto de mais sucesso na Fórmula 1 no grid do próximo ano, ele será o maior responsável por preparar o terreno para que a Mercedes chegue na categoria com um pacote competitivo em 2019-2020, e provavelmente via Venturi.

Por isso, com o grande investimento prometido pela Mercedes para bater de frente com as rivais alemãs Audi e BMW (que entra também na temporada 2019-2020), Massa tem todos os motivos para acreditar que pode disputar pódios, vitórias e títulos por seu time no futuro. A temporada 2018-2019 será só o início de um ciclo muito maior.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula E
Tipo de artigo Análise