Após sanções, Toyota teme times privados em Le Mans

compartilhar
comentários
Após sanções, Toyota teme times privados em Le Mans
Jamie Klein
Por: Jamie Klein
7 de fev de 2018 20:29

Montadora japonesa terá velocidade de reta até 20 km/h mais lenta na edição deste ano da prova

A Toyota prevê que enfrentará um grande déficit de velocidade para os times privados da LMP1 nas 24 Horas de Le Mans deste ano.

Isso ocorre porque, em uma tentativa de equilibrar a categoria, o Automobile Club de l'Ouest decidiu nivelar a performance dos carros híbridos e dos convencionais.

Assim, o Toyota TS050 Hybrid usará apenas 35,2 kg de combustível por stint (antes o time usava 44,1 kg) em 2018, em comparação com os 52,9 kg que os carros privados menos eficientes poderão queimar.

Os carros não híbridos também poderão usar quase duas vezes mais energia (210,9mj) em uma única volta do Circuito de la Sarthe do que a Toyota (124,9m por volta).

As mudanças, de acordo com o piloto britânico Mike Conway, significam que a esperada vitória da montadora em Le Mans não pode ser tida como uma certeza neste ano. Ele espera que a marca japonesa seja bastante prejudicada em termos de velocidade máxima.

"Com as regras, os organizadores favoreceram bem os times privados. As regras estão muito abertas para eles", Conway disse ao Motorsport.com.

"O tempo de volta que eles visam fazer em Le Mans é muito rápido, e sua velocidade máxima pode ser de até 360 km/h, enquanto nós estaremos chegando a 340 km/h.”

"Se eles tiverem essa vantagem, isso pode ser bastante difícil. Nós definitivamente temos uma vantagem de termos com sistemas de tração nas quatro rodas. Mas eles podem correr com muito mais downforce, porque eles têm mais combustível para queimar em uma volta."

Perguntado se temia alguma equipe em particular, Conway respondeu: "Eu acho que a Rebellion, sendo time que usa Oreca, pode ser forte. Vejamos no prólogo (teste em Paul Ricard) o que eles podem fazer".

Melhor chance para times privados desde 2005

O diretor técnico da Oreca, David Floury, enfatizou que 2018 representa uma oportunidade de ouro para as equipes privadas conquistarem a vitória em Le Mans, dada a escassez de fábricas na LMP1.

"A chance das equipes privadas na LMP1 em Le Mans é a mais alta em muito tempo", disse ele ao Motorsport.com.

"Pescarolo provavelmente teve a última grande oportunidade, em 2005. Há sempre ciclos como este em Le Mans. Em algum momento, uma pequena janela para time privados se abre. A próxima chance desse tipo provavelmente ocorrerá em 2030, na melhor das hipóteses".

Próxima Le Mans matéria
Chances de ir a Le Mans são de 50%, diz Alonso

Previous article

Chances de ir a Le Mans são de 50%, diz Alonso

Next article

VÍDEO: O domínio da Ferrari em Le Mans em 1963

VÍDEO: O domínio da Ferrari em Le Mans em 1963
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Le Mans
Equipes Toyota Racing
Autor Jamie Klein
Tipo de matéria Últimas notícias