Barros se anima com pupilo na Europa: “está surpreendendo”

Utilizando mesma estrutura que formou grandes pilotos como o espanhol Marc Márquez, brasileiros têm “chance de ouro”

Aposentado da MotoGP desde 2007, Alexandre Barros conduz desde 2012 um projeto para levar pilotos à Europa. O objetivo dele é fazer o Brasil ser bem representado e ter continuidade no Mundial de Motovelocidade, colocando os jovens pilotos para trilhar o caminho que leva ao pico do motociclismo com bons recursos.

Barros está dando uma ótima oportunidade para os iniciantes. Basicamente obter destaque no time do ex-piloto aqui no Brasil dá ao jovem a oportunidade de estar na vitoriosa equipe Monlau, na Espanha. Conhecida atualmente como Estrella Galicia 0,0 Junior Team, o time é capitaneado pelo ex-piloto Emílio Alzamora, mentor do campeão mais jovem da história da MotoGP, Marc Márquez.

Em entrevista ao Motorsport.com, Alexandre brinca: “hoje os meninos têm uma oportunidade que eu não tive, e eu sempre falo isso para eles. É uma chance de ouro.”

O próprio Márquez, em sua passagem no Brasil, falou sobre a importância do projeto utilizando como exemplo sua carreira. “No final tudo tem uma base, tudo tem o seu início”, disse.

“Sempre tentamos agradar os patrocínios, que desde a base estão com a gente. Sem eles e a ajuda que tive na Espanha - muito parecida com o que Alex Barros faz aqui no Brasil - não chegaria lá. Estou muito contente de como foi minha trajetória até aqui, não posso negar.”

O projeto e o pupilo

Falando da atividade que realiza com os meninos na categoria GPR 250, Barros resumiu sua trajetória até 2016. “Já tivemos dois vice-campeonatos e um título, sendo que no ano passado dos cinco primeiros quatro eram nossos. Temos dois pilotos novos. O nosso piloto mais velho tem 13, o mais novo, nove.”

“Nós mandamos nosso segundo piloto para a Europa. Tivemos o Lucas Torres e agora o Brian David, que teve resultados excelentes em treinos de pré-temporada - sempre a menos de um segundo dos ponteiros.”

Brian foi o nono na primeira prova do campeonato de Moto3 da Copa da Espanha, ocorrida no dia 17 de abril em Albacete. “Sinceramente eu não esperava que ele fosse tão competitivo de início assim”, confessou Alexandre. “Ele tem chances reais de conquistar bons resultados.”

“Este é o campeonato da pré-Moto3 espanhola, a Copa da Espanha. É uma moto de velocidade com um motor Honda de motocross limitado a 36 cv. O Brian tem dois anos, e caso consiga fazer um bom trabalho, ele vai para o time da Estrella Galícia no Campeonato Europeu (CEV) de Moto3 para andar com uma Honda oficial. O caminho depois disso é entrar no mundial de Moto3 por esta equipe.”

Além dele, Barros continua com o time no Brasil. “Mantivemos o Guilherme Brito e o Diogo Moreira, que foram terceiro e quarto no ano passado. Um tem 13 e o outro tem 11. Fechamos com outros dois pilotos de uma seletiva que fizemos. O Humberto Cezar de 10 anos, que tem pouca experiência, mas tem uma velocidade natural muito grande, e o Kevin Santos, de nove anos.”

Vídeo da seletiva de Alexandre:

Esperança

Dono de sete vitórias e sendo o segundo piloto que mais participou de corridas na MotoGP/500cc (perde apenas para Valentino Rossi), Barros deposita grande esperança nos frutos de seu trabalho. “Ainda falta divulgação, mas quando os resultados aparecerem, as pessoas vão entender e saber valorizar o que a Honda, a Estrella Galícia e eu estamos fazendo agora.”

“Arrumar patrocínio é difícil, e gente que acredita a médio e longo prazo é mais ainda. Me sinto abençoado por tê-los.”

“Eu banquei este projeto no primeiro ano e no processo estes dois patrocinadores se interessaram. Foi algo que em seis meses deu retorno. Espero que seja um projeto eterno. Sempre digo para eles: ‘o que estamos fazendo no Brasil é um marco’. Ninguém ainda está vendo, mas quando começar a aparecer, isso vai estourar”, cravou.

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias MotoGP
Pilotos Alex Barros
Tipo de artigo Entrevista