Bradl: Nada se compara à emoção de uma vitória de Rossi

compartilhar
comentários
Bradl: Nada se compara à emoção de uma vitória de Rossi
Por: Sebastian Fränzschky
12 de jan de 2018 19:57

Alemão não hesita em dizer que "presença de Valentino Rossi na pista é especial e é capaz de polarizar toda a atenção"

Race winner Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Race winner Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Race winner Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Podium: Race winner Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Worldchampion Marc Marquez, Repsol Honda Team celebrate
Worldchampion Marc Marquez, Repsol Honda Team celebrate
Worldchampion Marc Marquez, Repsol Honda Team celebrate
Worldchampion Marc Marquez, Repsol Honda Team celebrate
Marc Marquez, Repsol Honda Team

Valentino Rossi ainda é o grande ídolo da maioria dos fãs de MotoGP. A cor amarela predomina nas arquibancadas dos circuitos, mesmo na Espanha - país dos seus principais rivais. Por trás dos boxes da equipe, há sempre uma multidão à espera do italiano.

O entusiasmo por Rossi se transformou em fanatismo há dois anos e meio, quando o italiano e Marc Márquez viveram o episódio controverso de Sepang. Na última corrida daquele ano, em Valência, o espanhol precisou de segurança adicional e passou a questionar se os fãs do #46 podiam representar um perigo, algo que foi demonstrado não era assim.

Sobre este assunto, falamos com Stefan Bradl, um piloto que estava no MotoGP quando tudo aconteceu e ele se lembra bem.

"Algo aconteceu lá (risos)", lembra o alemão. "Este esporte geralmente é limpo, e o incidente de Sepang não foi o melhor momento ou a mais bela manobra, mas as emoções na corrida são difíceis de controlar e, no final, o público viu o que eles queriam ver", disse Bradl ao Motorsport.com alemão.

"O motociclismo é um esporte individual, é um homem contra o outro, e a relação entre os pilotos nem sempre é uma boa amizade", diz o campeão da Moto2 de 2011, que esteve na categoria rainha entre 2012 e 2016.

"As arquibancadas ficam manchadas de amarelo em 95% dos circuitos e em qualquer lugar você pode ver #46."

"As emoções quando Rossi ganha não são comparáveis às emoções quando Márquez vence, ou Dovizioso", explica ele. "Ele é um esportista como Roger Federer, que ainda é um jogador de tênis muito especial, embora atualmente ele não seja mais o número 1", ele compara.

"A presença de Rossi na pista é especial, é capaz de polarizar toda a atenção, e nem todos os pilotos têm essa qualidade", afirma Bradl, que enfrentará em 2018 um novo papel como piloto de teste da equipe oficial da Honda na MotoGP e com isso, pode disputar alguma prova como convidado nesta temporada.

Próxima MotoGP matéria
Fabricantes querem reduzir número de testes da MotoGP

Previous article

Fabricantes querem reduzir número de testes da MotoGP

Next article

Ex-empresário de Pedrosa se torna chefe da Repsol Honda

Ex-empresário de Pedrosa se torna chefe da Repsol Honda