Pedrosa garante que tinha “ritmo para vencer”

compartilhar
comentários
Pedrosa garante que tinha “ritmo para vencer”
Valentin Khorounzhiy
Por: Valentin Khorounzhiy
Co-autor: Scherazade Mulia Saraswati
8 de out de 2018 21:19

Espanhol diz que fato de ter que usar pneu mais duro e início ruim o fizeram cair no final da corrida

O piloto da Honda, Dani Pedrosa, disse que tinha ritmo para vencer o GP da Tailândia, mas sente que a sua corrida foi comprometida por uma "enorme desvantagem" relacionada a escolha dos pneus.

Pedrosa, que vai se aposentar do campeonato no final do ano, está tendo sua pior temporada no mundial. Ele ainda não fez melhor que um quinto lugar neste ano.

Depois de ir para 11º lugar na primeira volta, o espanhol se recuperou até chegar no grupo dos quatro primeiros, Andrea Dovizioso, seu companheiro de equipe Marc Márquez e as Yamahas de Valentino Rossi e Maverick Viñales.

Mas sua tentativa de passa-los acabou quando ele perdeu a frente na curva 5 a sete voltas do fim, saindo da corrida.

"Tive a sensação de que havia potencial para vencer, obviamente, em relação a ritmo", disse Pedrosa depois da corrida.

“Mas, obviamente, quando você chega ao grupo, então você tem que lutar, você tem que encontrar o modo de passar e fazer as coisas funcionarem.”

“Eu não sei como seria no final, no grupo, mas obviamente, em relação ao ritmo, uma vitória era possível.”

Uma alta taxa de desgaste de pneus fez com que todos os pilotos, com exceção de Aleix Espargaró, da Aprilia, fizessem a corrida com o pneu traseiro duro. Pedrosa insistiu que não tinha escolha a não ser usar o pneu duro da Michelin, mas sentiu que isso o prejudicava de uma maneira importante, enquanto lutava para aquecer o pneu.

Ele calculou que o revés inicial do pneu teve um grande efeito em sua corrida e contribuiu para seu acidente.

"Esse era o problema principal, fomos forçados a usar o pneu traseiro duro e eu tive uma enorme desvantagem nisso, porque para eu aquecer este pneu era quase impossível", disse ele.

“Levou-me cinco voltas e tive de fazer duas voltas extras de aquecimento antes do grid para limpar o pneu. Mesmo assim, quando eu chequei, meus rivais estavam com muito mais aderência naquele momento. Foi uma enorme desvantagem.”

“Então eu tive um problema na embreagem na largada, e isso não me permitiu fazer um bom início, então na primeira curva eu ​​não fui tão forte e Jack Miller tentou me passar por dentro e levou nós dois para fora.

“Então, isso nos fez perder ainda mais posições, porque não fizemos uma boa primeira curva. Eu perdi talvez tenha perdido quatro segundos nas duas primeiras voltas, mas depois recuperei antes do acidente, então essa é a parte positiva.

“Infelizmente acabamos em um acidente, e acho que seria muito diferente se eu pudesse largar na frente. Mas a desvantagem foi enorme hoje no pneu traseiro no começo e esse é o problema, porque ninguém se importa."

Explicando o acidente em si, Pedrosa disse: “eu estava apenas melhorando meus tempos, eu estava dando voltas rápidas e me aproximando cada vez. Apenas virei e perdi a frente em uma ondulação”.

“O garfo fez um movimento estranho, eu perdi o aperto lá e na frente.”

Reportagem adicional por Scherazade Mulia Saraswati

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

Dani Pedrosa, Repsol Honda Team

Photo by: Gold and Goose / LAT Images

Próxima MotoGP matéria
Top 10: MotoGP Tailândia 2018

Previous article

Top 10: MotoGP Tailândia 2018

Next article

Zarco: Tailândia foi primeira "corrida real" em muitas

Zarco: Tailândia foi primeira "corrida real" em muitas
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Pilotos Dani Pedrosa Shop Now
Autor Valentin Khorounzhiy
Tipo de matéria Últimas notícias