Lenda da NASCAR, Buddy Baker morre aos 74 anos

O vencedor das 500 Milhas de Daytona de 1980 morreu devido a um câncer no pulmão, diagnosticado no começo deste ano

Buddy Baker, uma das lendas da NASCAR e vencedor das 500 Milhas de Daytona de 1980, morreu nesta segunda-feira (10) em decorrência de um câncer no pulmão, descoberto no começo deste ano. O ex-piloto estava em casa, no norte de Charlotte, segundo a família e amigos próximos.

A doença foi diagnosticada em um estágio avançado, o que impossibilitou uma cirurgia para a retirada do tumor. Buddy Baker, no entanto, enfrentou a morte como levou a vida: sem medo e sem arrependimentos. Na última entrevista, concedida a Tom Higgins há dois meses, Baker disse: “Está tudo certo com o homem lá de cima. Se eu tivesse medo de morrer jamais teria entrado em um carro de corrida”.

Elzie Wylie "Buddy" Baker Jr., que recebeu apelidos como "Leadfoot" e "The Gentle Giant" durante a carreira na NASCAR, esperou até o início de julho, quando deixou o programa de rádio “Late Shift”, veiculado na NASCAR SiriusXM, para anunciar publicamente que estava doente. "Tudo tem um começo e um fim", disse antes de encerrar o programa.

Baker foi o primeiro piloto a superar a média de 200 mph (321 Km/h) em um circuito durante um teste no oval de Talladega. Quatro das 19 vitórias do piloto na Sprint Cup foram conquistadas nesta pista.

Outros triunfos importantes de Baker durante a carreira foram a edição de 1980 das 500 Milhas de Daytona, as 500 Milhas de Darlington de 1970 – quando ele deu pelo menos uma volta em todos os adversários na pista – e as 600 Milhas de Charlotte em 1972 e 1973.

Após a aposentadoria, em 1994, o ex-piloto fez a transição para as telas, trabalhando como comentarista para a rede Nashville e para a CBS. Além das atividades como comentarista, Baker também atuou como mentor de pilotos novatos na NASCAR ou que pretendiam chegar à categoria. Mais tarde, ele se tornou co-apresentador na rádio NASCAR SiriusXM. A emissora em que Baker fez os últimos trabalhos da carreira emitiu o seguinte comunicado:

"Desde que lançamos a rádio NASCAR SiriusXM, em 2007, Buddy foi um dos âncoras do canal. Sentimo-nos honrados e gratos por ter trabalhado com ele durante todos esses anos. Ele tinha uma personalidade contagiante e uma habilidade para contar histórias que fez do programa dele algo agradável de se ouvir. Como um dos grandes pilotos da história da NASCAR, ele generosamente compartilhou os ricos conhecimentos – adquiridos ao longo das décadas em que ele esteve no esporte – com os nossos ouvintes. Ele fará muita falta, nossos pensamentos e orações estão com a família dele".

A NASCAR também manifestou pesar com a perda de uma de suas lendas. O presidente da categoria, Brian France, emitiu um comunicado nesta segunda-feira, ressaltando a importância de Baker para a história do certame norte-americano.

"Muitos dos fãs atuais conhecem Buddy Baker como um dos maiores contadores de histórias da história do esporte, essa habilidade única o tornou querido para milhões. Mas aqueles que o viram nas pistas tiveram uma amostra do enorme talento que ele possuía – reconhecido pelos adversários como um competidor rápido e feroz, que estabelecia recordes de velocidade e que triunfou nos grandes palcos da NASCAR. Buddy, que foi capaz de exercer os dois papéis com extrema competência, fará muita falta.”

Be part of something big

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias NASCAR Cup
Pilotos Buddy Baker
Equipes Wood Brothers Racing
Tipo de artigo Obtuário