Barrichello chega em 3º, quebra jejum de 23 anos e se sagra campeão da Stock

Rubens Barrichello fez uma prova segura e se consagrou na categoria mais importante do automobilismo nacional

Barrichello comemora com os filhos e a mulher Silvana
A vitória do Grande Prêmio de Curitiba, responsável por encerrar a temporada de 2014 da Stock Car, acabou com Daniel Serra. Contudo, outro piloto foi o responsável pela maior comemoração da manhã deste domingo. Rubens Barrichello, veterano ex-Ferrari na F1, chegou na terceira colocação e garantiu pela terceira vez o título da categoria.
 
[publicidade]Pole-position, depois de um brilhante desempenho na qualificação no sábado, Rubinho cometeu apenas um erro durante a prova, o qual o derrubou para a quarta posição. Entretanto, com estratégia e experiência, o veterano chegou em terceiro e obteve o primeiro título em 23 anos – o último ocorrera na Fórmula 3 Inglesa, em 1991.

O título consagra Barrichello ainda no segundo ano dentro da categoria. Depois de 19 anos na Fórmula 1, Rubinho fez a primeira temporada completa dentro da divisão somente no ano passado; em 2012, correu três provas. O piloto da Full Time terminou com 234 pontos, Átila Abreu finalizou com o vice (223,5).
 
Um início tumultuado. Assim pode-se descrever os primeiros minutos da prova decisiva da Stock Car. Logo na curva de abertura da prova, Júlio Campos bateu e perdeu o capô carro; um concorrente a menos para o líder Rubens Barrichello, que manteve a ponta, se preocupar.
 
Sergio Jimenez, outro candidato, também errou e rodou na pista suja. Para Barrichello, entretanto, as maiores preocupações decaiam sobre Átila Abreu e Thiago Camilo, e o segundo sofreu com óleo no circuito e deixou a disputa pela taça.
 
Ainda no início da prova, Camilo rodou e viu outro carro atingi-lo na traseira. Sem condições de consertar o veículo, o piloto abandonou a corrida na capital paranaense e, consequentemente, a briga pelo título da temporada 2014 da Stock Car.
 
Somente com Átila Abreu como concorrente direto, Rubinho perdeu a liderança ao sofrer com a pista suja. O veterano caiu para quarto e, por conta disso, adotou uma postura conservadora, de marcação sobre Átila Abreu, um dos beneficiados pelo erro de Barrichello.
 
A perseguição direta a Átila era tanta que Barrichello tratou de se preocupar em perseguir o vice-líder do campeonato. Somente restando 16min para o fim da prova, Rubinho modificou a estratégia e parou nos boxes para a troca obrigatória dos pneus.
 
Quatro minutos depois foi a vez de Abreu parar nos boxes. Dependendo da vitória para pressionar na disputa pelo título, o carro de número 51 perdeu a ponta para Daniel Serra ao sair do reabastecimento. Melhor para Barrichello, que, em terceiro, ficou ainda mais tranquilo na disputa pelo título.
 
Enquanto Barrichello guiava de forma conservadora para manter o terceiro posto, Cacá Bueno chegava para incomodar o veterano ex-F1. O piloto da Red Bull ultrapassou Allam Khodair restando 6min para o fim, assumiu a quarta posição e pressionou o líder da temporada.
 
Barrichello, contudo, se manteve tranquilo na pista. O veterano sustentou a terceira posição e obteve o título brasileiro de Stock Car. Um novo campeão para a categoria mais importante do automobilismo nacional. Choro de Silvana, filhos e equipe e festa de Rubinho, com direito a ‘zerinho’ na pista em Curitiba.
Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Stock Car Brasil
Tipo de artigo Últimas notícias