Com passagem duradoura, Massa entrou para a história da Ferrari

Piloto chegou pouco badalado ao time, teve altos e baixos, mas ficou mais tempo do que a maioria imaginava

Ostentando um chamativo macacão verde-e-amarelo, Felipe Massa surge no alto do pódio logo em seu primeiro GP Brasil pela Ferrari. Era a primeira vitória de um brasileiro em casa desde 1993 e o dia ensolarado daquele 22 de outubro de 2006 é mais um ingrediente a contrastar com o dia de hoje, em que Massa se despede da equipe italiana após oito anos e 139 corridas, contando com a corrida deste domingo.

A relação do piloto brasileiro com a Scuderia começou em 2001, quando Massa assinou um contrato com a equipe, mas sem garantias de que pilotaria um dos carros vermelhos algum dia. A saída de Rubens Barrichello do time no final de 2005, no entanto, abriu as portas para o compatriota e Felipe formou a dupla com o heptacampeão mundial Michael Schumacher em 2006. 

Massa chegava à Ferrari sem muita experiência. Com apenas três temporadas pela Sauber, o piloto era visto com desconfiança pelo público italiano e, após um começo discreto, melhorou a partir da metade do ano. A primeira vitória veio e agosto, no GP da Turquia. Correndo num circuito que é um dos seus preferidos, Massa largou na pole e liderou 54, das 58 voltas. Na última etapa daquele veio a sonhada vitória no Brasil, que fechou de forma positiva seu ano de estreia.

O vice-campeonato

Kimi Raikkonen, no entanto, já estava contratado e Felipe não permaneceria no time caso Michael Schumacher decide continuar correndo. O alemão, porém, se retirou das pistas e Massa passou a formar a dupla com Kimi. Com o finlandês, Felipe viveu seu melhor momento no time. Venceu 9 corridas em duas temporadas (2007 e 2008) e, após terminar em 4º lugar em 2007 (Kimi foi o campeão), foi o protagonista do time em 2008, quando ficou muito próximo do título.

O brasileiro chegou a última etapa, justamente em Interlagos, precisando vencer a corrida, mas sem que Lewis Hamilton ficasse entre os cinco primeiros. Massa fez sua parte e Hamilton chegou a cair para o sexto lugar na última volta, mas uma ultrapassagem sobre Timo Glock na última curva garantiu o título ao inglês por um ponto.

O acidente

A perda do título e o fraco carro construído pela Ferrari em 2009 não abalaram Massa, que começou andando forte naquela temporada. Seu melhor resultado veio na 9ª etapa, com um terceiro lugar no GP da Alemanha, mas na corrida seguinte, na Hungria, o brasileiro passaria por um dos momentos mais difíceis de sua carreira.

Durante o treino classificatório, uma mola se desprendeu da Brawn de Rubens Barrichello, saiu pulando pelo circuito e atingiu justo o encaixe da viseira do capacete do piloto ferrarista. Massa perdeu a consciência e seu carro só parou na barreira de proteção. Correndo risco de morte, Massa foi levado ao Hospital Militar de Budapeste, onde ficou em coma induzido, respirando por aparelhos. Após se recuperar alta, o brasileiro recebeu alta nove dias depois, mas só voltaria às pistas na temporada seguinte.

A perda de rendimento

E em 2010, com regulamento novo e a chegada de Fernando Alonso ao time, começava a pior fase de Felipe na Ferrari. Foi nesse ano, que Massa ouviu o famoso “Fernando is faster”, tendo que ceder a primeira posição a Alonso em Hockenheim. Naquela temporada, o espanhol já havia vencido a primeira corrida do ano e depois fizera questão de mostrar, na quarta etapa, o grau de consideração que teria pelo companheiro. Foi no GP da China, quando Alonso deu um chega pra lá em Massa na entrada dos boxes, para que seu pneu fosse trocado primeiro durante entrada do Safety Car. Este episódio e o GP da Alemanha abalaram ainda mais a confiança do brasileiro, que já sofria para se adaptar aos novos pneus.

A má fase persistiu em 2011, 2012 e 2013, com raros momentos de algum brilho. No total dessas quatro temporadas com Alonso como companheiro, Massa não venceu nenhuma vez e chegou ao pódio oito vezes em 76 corridas. Já Alonso venceu 11 GPs e subiu 40 vezes ao pódio no mesmo período.

Por estes números e por ser sempre visto com desconfiança pela mídia europeia, o brasileiro foi especulado fora da Ferrari em diversos momentos, mas sua saída só foi concretizada agora, no final de 2013, com a contratação do ex-companheiro Kimi Raikkonen, que retornará ao time em 2014. Após ser comunicado de sua saída, Massa negociou com várias equipes, entre elas a Williams, com a qual acertou um contrato de três anos. 

Números de Massa na Ferrari*:

Oito temporadas
Melhor resultado: vice-campeão (2008)

Corridas: 138
Vitórias: 11
Poles: 15
Pódios: 36
Pontos: 771

*Sem contar o GP Brasil de 2013

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Brasil
Pilotos Felipe Massa
Tipo de artigo Últimas notícias