Renault admite erro no equilíbrio do motor no México

compartilhar
comentários
Renault admite erro no equilíbrio do motor no México
Por: Lawrence Barretto
Traduzido por: Daniel Betting
30 de out de 2017 18:15

Fabricante francesa admite que foi muito agressiva em sua abordagem para balancear o desempenho do motor para o GP de mexicano após uma série de falhas

Cyril Abiteboul, Renault Sport F1 Managing Director
Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso STR12 retires from the race with engine failure
The car of race retiree Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso is recovered by Marshals after stopping on track with engine failure
Race retiree Brendon Hartley, Scuderia Toro Rosso gets a ride with a Marshal on a motorbike after retiring with engine failure
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17
Carlos Sainz Jr., Renault Sport F1 Team RS17
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17

Max Verstappen conquistou a vitória com seu Red Bull-Renault no México, mas seu companheiro Daniel Ricciardo, Nico Hulkenberg da Renault e Brendon Hartley, da Toro Rosso-Renault, abandonaram com problemas no motor.

Antes da corrida de domingo, no início do fim de semana, Hartley e seu companheiro de equipe Pierre Gasly sofreram com problemas no motor.

O diretor-geral da Renault, Cyril Abiteboul, admitiu que o fabricante simplesmente não se preparou o suficiente para o efeito que a altitude do México causaria no motor.

"Nós cometemos um erro de julgamento em nossa preparação na forma como tentamos equilibrar o desempenho versus a confiabilidade", disse a Abiteboul ao Motorsport.com.

"Fica claro quando você olha o ritmo do carro no fim de semana, muitas equipes vieram aqui com a abordagem certa quando se trata de lidar com parâmetros do motor e parâmetros do chassi”.

"Somos extremamente competitivos. O outro lado é que não fomos capazes de estar no nível certo de confiabilidade para esse nível de desempenho. Ao mesmo tempo, é um julgamento que permitiu que um carro movido pela Renault estivesse no topo do pódio”.

"São as condições climáticas, mas nós sabíamos disso. Estamos correndo há dois anos aqui. Sabemos o que esperar. Não há desculpas”.

"Nós precisamos tomar uma posição um pouco mais humilde e aceitar o fato de que o motor precisa ser gerenciado. Temos que entender o que deu errado na preparação para este fim de semana".

Abiteboul apontou para a forma como o recém-coroado campeão mundial Lewis Hamilton lutou para se recuperar na corrida, tendo caído para último após o contato com o rival do título, Sebastian Vettel, no início, como evidência de que a Mercedes tomou as precauções apropriadas.

"Se olharmos para a Mercedes, vimos que Hamilton foi capaz de se recuperar na corrida completamente diferente de outras provas".

"Ele estava lutando para manter-se com Fernando [Alonso], não pôde ultrapassar [Kevin] Magnussen ou [Carlos] Sainz”.

"Então, isso diz muito sobre o fato de a Mercedes se aproximar neste fim de semana, o que deveria ser um exemplo para os próximos anos".

O chefe da Red Bull, Christian Horner, afirmou que a corrida foi "bastante perturbadora" para a Red Bull, pois buscava fazer tudo o que estava ao seu alcance para proteger o motor de Verstappen.

"Tudo o que podemos fazer foi administrar temperaturas no carro de Max e mantê-las tão baixas quanto possível. Então, transformamos o fluxo de combustível direto, nós trabalhamos no limite e as temperaturas estavam funcionando tão baixas quanto no Japão, por exemplo”.

Próxima Fórmula 1 matéria
Cria da McLaren a líder da Mercedes: a carreira de Hamilton

Previous article

Cria da McLaren a líder da Mercedes: a carreira de Hamilton

Next article

Lowe: Temporada 2017 é a melhor da carreira de Hamilton

Lowe: Temporada 2017 é a melhor da carreira de Hamilton
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP do México
Localização Autodromo Hermanos Rodriguez
Autor Lawrence Barretto
Tipo de matéria Últimas notícias