Coluna do Nelsinho: Por que tudo funciona na Jaguar

compartilhar
comentários
Coluna do Nelsinho: Por que tudo funciona na Jaguar
Por: Nelson Piquet Jr.
16 de jan de 2018 15:46

Em sua coluna exclusiva para o Motorsport.com, brasileiro explica como a boa fase inicial na Jaguar continuou no Marrocos

Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing, talks with Mitch Evans, Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing, in the pits
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing
Nelson Piquet Jr., Jaguar Racing

Depois de três corridas da quarta temporada da Fórmula E, é bom poder falar que estamos muito mais perto dos líderes do que imaginávamos quando começamos o campeonato.

A volta mais rápida em Marrakesh foi uma boa indicação de desempenho e o quarto lugar também. Não acredito que temos o melhor pacote no momento, mas haverá dias em que tudo vai funcionar para nós e poderemos ter uma chance de pódio.

Tudo depende de um pouco de boa sorte, um carro bom, livre de problemas e uma boa classificação. É termos uma boa posição e isso nos dará reais aspirações para o resto da temporada e uma boa motivação para todo mundo continuar trabalhando duro.

A corrida de Marrakesh teve duas metades diferentes para mim. O primeiro carro estava muito difícil de manter o objetivo de uso de energia, se comparado com o carro após o pit stop. Havia muitos outros caras mais rápidos do que eu. Jean-Eric Vergne esteva muito perto de mim, os Audis estavam muito próximos, Jose Maria Lopez estava muito perto... Tudo estava muito intenso e eu achava que ficaria tudo mais difícil.

Depois do pit stop, estávamos voando com o segundo carro. Estava com um equilíbrio melhor e isso nos permitiu fazer as curvas mais rápidas, então você gastava menos energia para manter a velocidade. Estávamos conseguindo ser três ou quatro décimos mais rápidos por volta.

Eu estava talvez a 10 segundos atrás da liderança antes da troca e apenas cinco no final. O time pôde ver que tivemos algum desempenho e energia para gastar e eles me diziam: ‘Acelera, acelera, acelera’ Isso é bom, obviamente, ter esse tipo de velocidade, mas nós trabalharemos agora para entender porque um carro estava muito mais rápido do que o outro para ter isso nos dois.

Se nos dois stints tivéssemos carros iguais ao segundo em termos de desempenho, estaríamos lutando pela vitória. Isso é realmente positivo e é melhor tentar compreender porque estávamos mais rápidos em um e mais lento com o outro.

Eu tenho que dizer que o time está fazendo um grande trabalho. Todos os novos membros estão vindo de categorias não elétricas, então eles estão tendo que aprender muitas coisas e se adaptar rapidamente. Todos eles realmente merecem sucesso, depois de uma difícil temporada 3. Alguns bons resultados seguidos ajudará a manter todos felizes.

Não existe uma única coisa que esteja melhorando o nosso desempenho, como em qualquer categoria, é o efeito combinado de muitas pequenas melhorias. Quando você chega ao nível em que a Fórmula E está, com o nível de engenheiros que temos aqui e o nível de pilotos, os pequenos ganhos que você encontra em toda a equipe - sejam eles técnicos ou operacionais - fazem a diferença.

A equipe também fez algumas contratações importantes, como Phil Charles, nosso gerente técnico, que veio da Toro Rosso. Ele é muito claro sobre o que precisamos fazer e onde precisamos melhorar. Não há excesso de complicações: ele explica as coisas de uma maneira muito clara e isso ajuda todos a dar passos positivos e simplesmente avançar facilmente. Eu sabia que ele era assim e é por isso que acho ótimo que ele tenha vindo ao time.

Quando você vê todas essas coisas fazendo a diferença, apenas dá a todos uma grande motivação. Estive em situações antes, quando você tem muitas dificuldades, você se perde um pouco, em termos de entender os motivos da sua falta de desempenho. É bastante fácil entrar em uma situação de frustração 'bola de neve' e se torna muito difícil para as pessoas trabalharem efetivamente quando isso acontece. Às vezes, você só precisa de cérebros frescos e pensamentos frescos e algumas pessoas novas para pressionar o botão de reiniciar.

Até agora, na Jaguar está funcionando, tudo está indo muito bem, todos estão felizes, então continuemos recebendo os resultados. Claro, temos um pouco de sorte em Marrakesh, com os carros da Abt e outros com alguns problemas, mas sempre vai ser assim nas corridas. E você precisa estar em posição de aproveitar quando essas coisas acontecem.

Nós temos Santiago, no Chile em seguida, outro novo circuito para a Fórmula E e estou ansioso por isso. Eu gosto de novas pistas e sempre consegui entender os circuitos muito rapidamente. Talvez isso seja uma vantagem para mim novamente.

Próxima Fórmula E matéria
Fórmula E considera Birmingham para substituir Montreal

Previous article

Fórmula E considera Birmingham para substituir Montreal

Next article

Di Resta: Carro da F-E é melhor do que muitos pensam

Di Resta: Carro da F-E é melhor do que muitos pensam
Load comments