Espargaró: “Sou muito competitivo para só fazer número”

compartilhar
comentários
Espargaró: “Sou muito competitivo para só fazer número”
Por: Mark Bremer , Writer
10 de out de 2018 14:10

O piloto da Aprilia, Aleix Espargaró, revelou sua frustração com a falta de competitividade de sua equipe neste ano, dizendo que não pode tolerar mais uma má temporada em 2019.

Depois do surpreendente sexto em Aragón, Espargaró terminou em 13º na corrida de Buriram no fim de semana passado e cruzou a linha 21 segundos atrás do vencedor, Marc Márquez.

O espanhol disse que não estava orgulhoso de seu resultado, apesar de sentir que foi o melhor possível para a marca Noale em uma pista que mostrou os pontos fracos da moto RS-GP.

Uma das principais reclamações tanto de Espargaró quanto do companheiro de equipe, Scott Redding, foi a falta de potência. Buriram tem duas longas retas no primeiro setor, e isso significou um déficit permanente.

"Foi um ano muito frustrante", disse Espargaró. "Sou uma pessoa super positiva, mas tanto Redding como eu continuamos reclamando dos mesmos problemas, e ainda assim não melhoramos.”

“Nós sabíamos que iríamos ter problemas na Tailândia, porque estamos perdendo bastante em termos de potência do motor e temos tido problemas de aderência até agora.”

"Fizemos algumas alterações na geometria da moto, alteramos a distribuição de peso e perdemos toda a aderência traseira."

Com quatro corridas pela frente em 2018, Espargaró está em 16º na classificação após ter acumulado 32 pontos, o mesmo que seu irmão Pol Espargaró, da KTM, que perdeu quatro GPs devido a uma lesão.

Ele diz que não quer imaginar mais uma temporada como essa, e, por essa razão, pede à Aprilia que não cometa os mesmos erros quando construir a moto do próximo ano.

"Nós fazemos testes toda semana e nos últimos três meses eu tive apenas 10 dias em casa, e ainda assim não melhoramos nada", lamentou Espargaró.

"A moto de 2019 deve ser competitiva, porque este ano foi um desastre. Sou muito competitivo para ter a sensação de que estou apenas fazendo número no grid.”

"Se eu tiver que ter mais um ano terminando em 17º, arriscando em todas as corridas e chegando 30 segundos na frente do meu companheiro de equipe, seria meu último ano, com certeza."

Ele acrescentou: “acredito no Romano Albesiano (chefe de equipe da Aprilia) e quero pensar que a moto do ano que vem será a correta. Nós somos o menor fabricante e temos que crescer.”

"Além disso, em 2019 vamos contar com Andrea Iannone, um piloto muito rápido que está fazendo pódios este ano."

Aleix Espargaro, Aprilia Racing Team Gresini

Aleix Espargaro, Aprilia Racing Team Gresini

Photo by: Gold and Goose / LAT Images

Próxima MotoGP matéria
Zarco: Tailândia foi primeira "corrida real" em muitas

Previous article

Zarco: Tailândia foi primeira "corrida real" em muitas

Next article

Lorenzo se diz “grato” por Márquez não travar ida à Honda

Lorenzo se diz “grato” por Márquez não travar ida à Honda
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Pilotos Aleix Espargaro
Equipes Aprilia Racing Team Gresini
Autor Mark Bremer
Tipo de matéria Últimas notícias