Não há razão para esperar classificação melhor, diz Wolff

Toto Wolff acredita que novo formato de treino de qualificação, muito criticado pela falta de ação na parte final, não será melhor na Austrália

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, não vê nenhuma razão para acreditar que o treino de classificação será melhor neste fim de semana no GP do Bahrein, depois de a Formula 1 não conseguir alterar o formato para a segunda prova da temporada.

Apesar de todas as equipes terem concordado no GP da Austrália que o novo formato de eliminação foi um fracasso, uma votação durante a última semana não conseguiu produzir o apoio unânime necessário para reverter para o sistema anterior para Bahrain.

Conforme relatado por Motorsport.com, McLaren e Red Bull se recusaram a aceitar um compromisso e o mesmo sistema será usado novamente no Sakhir neste fim de semana.

Wolff avalia que o formato tem tudo para falhar de novo no Bahrein.

"Neste fim de semana vamos ver o novo sistema de qualificação continuar depois de uma estreia menos do que impressionante na Austrália", disse Wolff em uma prévia da equipe.

"As equipes foram unânimes na opinião no domingo, em Melbourne, e não era uma opinião positiva".

"Nós não encontramos o formato adequado com esta mudança e é difícil ver como ele poderia ser mais divertido para os fãs neste fim de semana no Bahrein".

"O esporte está analisando este assunto, então o pensamento cuidadoso é necessário a fim de dar passos inteligentes e coordenados a partir da posição que estamos agora".

"Os fãs querem corridas disputadas, em um formato que eles possam compreender, entre os melhores pilotos e carros do mundo - nessa ordem".

"Devemos ser capazes de entregar isso para as pessoas nas arquibancadas e assistindo à transmissão ao redor do mundo", Wolff acrescentou.

Hamilton sobre alterações de 2017

Depois de uma semana durante a qual a Fórmula 1 enfrentou duras críticas por sua falta de direção - com a GPDA pedindo mudanças para uma estrutura doente do esporte - o campeão mundial Lewis Hamilton deu a sua opinião.

O britânico, que não é membro da GPDA, reconhece que a Fórmula 1 está na direção errada se continuar o plano para tornar os carros de 2017 mais rápidos, aumentando o downforce.

"Não é nosso trabalho avançar com ideias e todos nós temos opiniões diferentes de qualquer maneira", disse ele. "Mas, pessoalmente, acho que precisamos de mais aderência mecânica e menos rastro aerodinâmico saindo da parte de trás dos carros, para que possamos chegar perto e ultrapassar".

"Falo como alguém que ama este esporte e gosta de corrida eu não tenho todas as respostas. Mas eu sei que as mudanças que estamos fazendo não vão oferecer uma melhor corrida."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Evento GP do Bahrein
Pista Bahrain International Circuit
Equipes Mercedes
Tipo de artigo Entrevista