Por desenvolvimento, projetistas esquecerão ultrapassagens

compartilhar
comentários
Por desenvolvimento, projetistas esquecerão ultrapassagens
Por: Glenn Freeman
16 de jun de 2018 15:44

Chefe da Haas, Gunther Steiner diz que novo regulamento aerodinâmico pode não ajudar competitividade

Os projetistas das equipes de Fórmula 1 vão "esquecer as ultrapassagens" quando começarem a trabalhar nas mudanças que estão sendo aplicadas para 2019, crê o chefe da equipe Haas, Gunther Steiner.

Mudanças de última hora foram realizadas no final de abril para alterar o design dos carros para o próximo ano, seguindo uma pesquisa realizada pela própria F1 com a ajuda das equipes.

As mudanças, que incluem alterações na forma como as asas dianteiras controlam o fluxo de ar em torno dos pneus, visam facilitar os carros seguirem uns aos outros, mas Steiner acredita que é cedo demais no processo para ter certeza de que as mudanças terão o efeito desejado.

"Essas pessoas de aero fazem um estudo em uma semana e dizem 'é assim', então fazem um estudo de dois meses e os resultados são completamente diferentes, porque usam cada regulamentação escrita para obter o máximo de desempenho", disse ele.

"Essa é a fase em que todos estão agora, para tirar o máximo proveito do regulamento que foi introduzido após um estudo de três semanas.”

"O estudo de três semanas foi de bom propósito, para tornar as ultrapassagens mais fáceis, mas agora os caras da aerodinâmica também estão nisso. Esqueça as ultrapassagens, consiga desempenho.”

"Eles estão trabalhando para descobrir qual a diferença que isso realmente irá fazer - não acho que alguém tenha a resposta ainda."

A Haas trouxe seu maior pacote de atualização em sua curta história para o GP do Canadá, mas Steiner admite que seus planos para o resto de 2018 serão afetados pelos novos regulamentos para o próximo ano.

"Ainda estamos procurando descobrir o quanto isso afeta o que estamos fazendo", disse ele.

"Eles precisam fazer alguns trabalhos de CFD para ver o que a nova asa dianteira faz, então eles irão decidir nas próximas duas ou três semanas se nos concentramos um pouco mais em 2019 do que nas antigas regras. Faríamos isso por razões óbvias - não queremos ficar para trás.”

"Há um ponto que precisaremos mudar para 2019, e com o desenvolvimento limitado do túnel vento e o tempo CFD, todos estão na mesma situação."

Next article
Bélgica garante extensão de contrato com F1 por três anos

Previous article

Bélgica garante extensão de contrato com F1 por três anos

Next article

Renault: Desenvolvimento de combustível deixa RBR para trás

Renault: Desenvolvimento de combustível deixa RBR para trás
Load comments

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Glenn Freeman