Toro Rosso: Sainz foi dado à Renault como compensação

Sem definir dupla para 2018, time espera decisão da Red Bull para oficializar pilotos

Com a ida de Carlos Sainz para a Renault, a Toro Rosso voltará a ter nas próximas provas Daniil Kvyat no comando de um de seus carros ao lado do francês Pierre Gasly. Porém, para o chefe da equipe, Franz Tost, o time ainda está longe de decidir qual será sua dupla de pilotos para o ano que vem.

Tost insiste que nada está definido para o próximo ano em relação aos pilotos e que tudo depende da Red Bull.

"Até agora, o próximo ano está aberto", disse Tost ao Motorsport.com. "Vamos ver, temos tempo. A Red Bull não precisa se apressar com isso, e o resto, vamos ver.”

"Vamos aguardar para o que acontecerá em Austin. Não há mais nada a dizer".

Tost minimizou as sugestões de que a Red Bull poderia procurar pilotos fora de seu grupo para 2018.

"Há sempre opções, mas a questão é se você mantém uma filosofia ou não, e a filosofia da Toro Rosso é sempre gerir os pilotos da Red Bull", acrescentou.

"No final, os pilotos estão sendo decididos pela Red Bull."

Tost admitiu que Kvyat está obviamente frustrado por ser tirado de duas corridas.

"É claro que cada piloto fica desapontado quando não está guiando, mas havia alguns motivos", disse ele.

Quanto à saída de Sainz, Tost disse: "Foi decidido que ele estava indo para a Renault, não há mais nada a dizer. Isso fazia parte do acordo.”

"Nós o demos a Renault como uma compensação por um contrato existente entre Toro Rosso e Renault. Para sair deste contrato, isso foi negociado desta maneira e, portanto, era de se esperar."

Escreva um comentário
Mostrar comentários
Sobre este artigo
Categorias Fórmula 1
Pilotos Daniil Kvyat , Pierre Gasly
Equipes Toro Rosso
Tipo de artigo Últimas notícias